Fonte: OpenWeather

    Operação


    'Anjo': apelido de advogado de Flávio Bolsonaro batizou operação

    O advogado de Flávio Bolsonaro abrigou Queiroz por um ano, segundo investigações

     Wassef e Flávio vinham negando conhecer o paradeiro do assessor
    Wassef e Flávio vinham negando conhecer o paradeiro do assessor | Foto: Divulgação

    A operação da Polícia Civil que prendeu o ex-assessor do senador Flávio Bolsonaro (Republicanos-RJ), Fabrício Queiroz , foi nomeada de “Anjo” pelo apelido do advogado Frederick Wassef, dono do escritório em que o procurado estava foragido, em Atibaia, interior de São Paulo.

    Na intimidade da família do presidente Jair Bolsonaro (sem partido) é assim que o jurista é conhecido. As informações são do jornal O Globo.

    Segundo investigações, Queiroz estava escondido no endereço há um ano. Apesar disso, Wassef e Flávio vinham negando conhecer o paradeiro do assessor.

    O advogado defende o senador no processo contra as “rachadinhas”, do qual Queiroz foi preso e esteve foragido. Ele também atua no caso contra Adelio Bispo, responsável por dar uma facada em Jair Bolsonaro durante campanha eleitoral, em setembro de 2018. De acordo com o delegado Nico Gonçalves, à frente do caso, foram apreendidos dois celulares e documentos.

    Além do local em que o ex-assessor foi encontrado, outros mandados de busca e apreensão foram cumpridos. Entre esses, a casa de Bento Ribeiro, escritório político da família Bolsonaro.

    Leia mais:

    Ex-assessor de Flávio Bolsonaro, Fabrício Queiroz é preso em São Paulo

    Justiça do Rio decreta a prisão da mulher de Queiroz

    Liminar do desembargador Ernesto Chíxaro suspende CPI da Saúde