Dívidas


Bolsonaro deve decidir se perdoa R$ 1 bilhão em dívidas de igrejas

Proposta já foi aprovada pela Câmara dos Deputados e pelo Senado, mas depende da sanção do presidente que deve ser dada até sexta-feira (11)

A proposta foi apresentada pela bancada evangélica no Congresso e beneficia instituições religiosas
A proposta foi apresentada pela bancada evangélica no Congresso e beneficia instituições religiosas | Foto: Marcos Corrêa/PR

O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) deverá sancionar ou vetar trecho do Projeto de Lei (PL) que concede um perdão bilionário a igrejas e templos até esta sexta-feira (11). As dívidas tributárias estão avaliadas em R$ 1 bilhão.

A proposta foi apresentada pela bancada evangélica no Congresso e beneficia instituições religiosas. O texto foi aprovado pela Câmara dos Deputados em 15 de julho e, em 18 de agosto, pelo Senado.

No fim de abril, o chefe de Estado se reuniu com o deputado federal David Soares (DEM-SP), filho do missionário R.R. Soares, líder da Igreja Internacional da Graça de Deus, e o secretário especial da Receita Federal, José Barroso Tostes Neto. No encontro, eles conversaram sobre as dívidas e Bolsonaro já disse publicamente que é a favor de "fazer justiça com os pastores, com os padres" na questão tributária.