Fonte: OpenWeather

    Vacina no Brasil


    Câmara aprova projeto e quem furar fila de vacina comete crime

    Os parlamentares também aprovaram a proposta que aumenta a pena para quem destruir, inutilizar vacinas ou insumo usados contra a covid-19

     

    O projeto também prevê a punição pelo crime de peculato de vacinas, bens ou insumos medicinais
    O projeto também prevê a punição pelo crime de peculato de vacinas, bens ou insumos medicinais | Foto: Arquivo / Semcom

    A Câmara dos Deputados aprovou nesta quinta-feira (11) o Projeto de Lei 25/21 que altera o Código Penal para punir as pessoas que furam a fila de vacinação contra o novo coronavírus (covid-19). Quem infringir a ordem de vacinação  - furar a fila - poderá ser punido com pena de reclusão de um a três anos, e multa. 

    Os parlamentares também aprovaram a proposta que aumenta a pena para quem destruir, inutilizar vacinas ou insumo usados contra a covid-19. As duas matérias seguem agora para apreciação do Senado.  

    O projeto também prevê a punição pelo crime de peculato de vacinas, bens ou insumos medicinais ou terapêuticos com reclusão de três a 13 anos, e multa. A punição para quem se apropriar, desviar ou subtrair vacinas vale tanto para vacina pública como para particular.

    O projeto caracteriza como crime de corrupção em plano de imunização o ato da pessoa se valer de cargo ou função para, em benefício próprio ou alheio, infringir a ordem de prioridade de vacinação ou afrontar, por qualquer meio, a operacionalização de plano federal, estadual, distrital ou municipal de imunização. A pena é de reclusão de dois a 12 anos, e multa.

    A pena é aumentada de um terço se o agente falsifica atestado, declaração, certidão ou qualquer documento.

    *Via Agência Brasil

    Leia mais:

    Congresso é acusado de interferir na aprovação das vacinas de Covid-19

    Aleam debate medidas para a possível abertura gradual do comércio