Fonte: OpenWeather

    Proteção do bioma


    Governo cria plano integrado para combater incêndios florestais

    A operação vai atuar no Cerrado, Pantanal e Amazônia e tem foco na antecipação de crimes ambientais

     

     

    A Operação Guardiões do Bioma terá início conforme necessidade e demanda dos estados nos meses de agosto a novembro. O foco de atuação será o Acre, Amazonas, Amapá, Maranhão, Mato Grosso do Sul, Mato Grosso, Pará, Rondônia, Roraima, Tocantins e Goiás.
    A Operação Guardiões do Bioma terá início conforme necessidade e demanda dos estados nos meses de agosto a novembro. O foco de atuação será o Acre, Amazonas, Amapá, Maranhão, Mato Grosso do Sul, Mato Grosso, Pará, Rondônia, Roraima, Tocantins e Goiás. | Foto: Reprodução


    Brasília - Com a intensificação de incêndios em biomas brasileiros, principalmente pela seca e desmatamento ilegal, o Ministério da Saúde lançou, nesta quinta-feira (22), um plano que prevê a atuação de quase seis mil profissionais em 11 estados do Cerrado, Pantanal e Amazônia.  A iniciativa do Ministério da Justiça e Segurança Pública, em parceria com os ministérios do Meio Ambiente e Desenvolvimento Regional, visa atuar no combate a incêndios florestais e na prevenção, repressão e investigação de crimes ambientais.

      O primeiro Plano Estratégico Operacional de Atuação Integrada no Combate a Incêndios Florestais prevê a Operação Guardiões do Bioma e é uma ação interministerial e integrada com estados. Estão envolvidos ainda secretarias de segurança públicas estaduais e o Conselho Nacional dos Corpos de Bombeiros Militares do Brasil. O plano tem foco no planejamento a antecipação de ações.  

    A Operação Guardiões do Bioma terá início conforme necessidade e demanda dos estados nos meses de agosto a novembro. O foco de atuação será o Acre, Amazonas, Amapá, Maranhão, Mato Grosso do Sul, Mato Grosso, Pará, Rondônia, Roraima, Tocantins e Goiás.

    O ministro da Justiça e Segurança Pública, Anderson Torres, afirmou que a ação terá atuação intensa na repressão aos crimes contra o meio ambiente com participação da Polícia Federal e das secretarias de segurança estaduais.

    "

    “Nosso trabalho dessa vez não será só de ajudar na questão de apagar o fogo, de apagar os incêndios. Sabemos da importância e da relevância, mas entendemos que a responsabilização também de criminosos que atuam nessa área de meio ambiente causando incêndios, desmatando de forma ilegal, também é muito importante nessa nossa operação” "

    , afirmou Anderson Torres

     

    O ministro do Meio Ambiente, Joaquim Álvaro, explicou que a atuação conjunta de ministérios e forças policiais vai dar capilaridade ao trabalho de prevenção e combate aos incêndios nos biomas brasileiros.

    “Com essa operação Guardiões do Bioma será uma ação efetiva para conseguirmos combater os crimes, especialmente os ligados a incêndios florestais. Esse ano temos que estar antecipando a ação e com o lançamento dessa operação conseguiremos, sim, mostrar ao mundo e mostrar aos brasileiros uma ação conjunta do Governo Federal nesse tema que é super importante para todos nós”, relatou o ministro.

    Guardiões do Bioma

      De acordo com o Ministério da Justiça, todas as unidades da federação colocaram profissionais especializados para participar da operação. Dentre o quase seis mil homens envolvidos, 200 são bombeiros e policiais militares da Força Nacional de Segurança Pública, 1.642 do PrevFogo do Ibama, 1.427 brigadistas do ICMBio e mais 1.570 bombeiros e policiais militares ambientais dos estados.  

    Em caso de necessidade, mais 900 bombeiros de unidades da federação fora do foco de atuação poderão ser enviados para dar reforço. As polícias civis, militares e a Defesa Civil também farão parte da Operação dentro de suas respectivas áreas de atuação.

    A Polícia Federal vai desenvolver ações de inteligência e haverá atuação da Polícia Rodoviária Federal nas rodovias.

    Leia mais:

    Projeto para combater supersalários é aprovado na Câmara

    Enfraquecida, sigla do "Podemos" perde cada vez mais políticos no AM

    No AM, agricultura familiar deve compor 30% da merenda escolar