Fonte: OpenWeather

    Supremo Tribunal Federal


    Moraes afasta delegado que investigava interferência de Bolsonaro

    Segundo o ministro do STF, o delegado Felipe Leal solicitou informações suspeitas sobre fatos que nada têm a ver com a apuração em curso

     

    | Foto:


    Brasília - Por meio de um despacho do ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Alexandre de Moraes, o delegado Felipe Leal não faz mais parte das investigações sobre uma “interferência” do presidente Jair Bolsonaro (sem partido) na Polícia Federal, abertas a partir de denúncia feita pelo ex-ministro da Justiça e Segurança Pública Sergio Moro. 

    Em seu despacho, realizado nesta sexta-feira (27), o magistrado também anula pedidos de informações, feitos por Leal à PF, de atos administrativos do atual diretor-geral da corporação, Paulo Maiurino, que está à frente do cargo desde abril deste ano.

      Moraes afirma que várias das providências tomadas por Leal “não estão no escopo desta investigação”. Entre tais providências, está um pedido à Procuradoria-Geral da República de um procedimento instaurado para verificar a procedência da notícia de relatórios produzidos pela Agência Brasileira de Inteligência (Abin) e/ou o Gabinete de Segurança Institucional (GSI) para orientar a defesa do senador Flávio Bolsonaro.  

    *Com informações do Metrópoles

    Leia mais: 

    "Perseguição", diz prefeito de S.G. da Cachoeira sobre investigação

    STF adia julgamento sobre marco temporal para o dia 1º de Setembro

    CPI: Ricardo Santana diz que trabalhou sem remuneração em ministério