Fonte: OpenWeather

    Representatividade


    Câmara realiza Encontro Nacional de Procuradorias da Mulher

    O evento será o 1º do país e contará com a participação de representantes de procuradorias da Mulher estaduais e municipais

     

     

    Na programação do encontro, estão previstos o lançamento da Rede Nacional de Procuradorias da Mulher
    Na programação do encontro, estão previstos o lançamento da Rede Nacional de Procuradorias da Mulher | Foto: Divulgação

    Brasília - A Secretaria da Mulher da Câmara dos Deputados, na segunda (30) e na terça-feira (31), por meio da Procuradoria da Mulher, promove o 1º Encontro Nacional de Procuradorias da Mulher no Legislativo. O evento será realizado no plenário 4, a partir das 10h, e contará com a participação de representantes de procuradorias da Mulher estaduais e municipais.

    Atualmente, 16 unidades federativas já instalaram ou estão prestes a criar esses colegiados em suas assembleias, ou câmaras legislativas. Em âmbito municipal, 170 câmaras de vereadores instalaram procuradorias ou têm projetos em tramitação.

    A coordenadora da bancada feminina na Câmara Federal, deputada Celina Leão (PP-DF), afirma que “é essencial ampliar e dar maior visibilidade às estratégias de empoderamento feminino e de defesa dos direitos das mulheres, unindo esforços para que esse trabalho alcance cada vez mais pessoas em todo o País”.

    Por isso, a Procuradoria da Mulher da Câmara estimula a implantação desses colegiados nos estados e municípios.

      “Os resultados das inúmeras ações que temos desenvolvido mostram que o caminho é este: incentivar que sejam implantadas essas iniciativas em todo o Brasil para, assim, ampliar e acompanhar mais de perto medidas voltadas ao enfrentamento da violência contra as mulheres e direcionadas à ampliação da participação feminina na política”, afirma a procuradora da Mulher da Câmara, deputada Tereza Nelma (PSDB-AL).  

    As procuradorias da Mulher são, primordialmente, órgãos de fiscalização e monitoramento de políticas públicas voltadas a combater a violência e a discriminação contra mulheres, além de atuarem na qualificação dos debates de gênero nos parlamentos, recebendo e encaminhando denúncias de agressão e discriminação aos órgãos competentes e incentivando a participação da mulher na política.

    *Com informações da Câmara

    Leia mais:

    "Medida descabida", diz Queiroga sobre passaporte sanitário

    Moraes afasta delegado que investigava interferência de Bolsonaro

    Consumo de bebida alcoólica pode ser proibido em ônibus de Manaus