Fonte: OpenWeather

    Justiça


    PGR defende prisão domiciliar para Roberto Jefferson

    Parecer de Lindôra Araujo cita estado de saúde do ex-deputado

     

     

    A prisão foi justificada após publicações de supostos ataques aos ministros da Corte nas redes sociais do ex-deputado
    A prisão foi justificada após publicações de supostos ataques aos ministros da Corte nas redes sociais do ex-deputado | Foto: Divulgação

    Brasília - Nesta sexta-feira (27), a subprocuradora da República Lindôra Araujo emitiu parecer favorável ao cumprimento de prisão domiciliar pelo presidente nacional do PTB, o ex-deputado federal Roberto Jefferson. Na manifestação enviada ao Supremo Tribunal Federal (STF), a subprocuradora entendeu que a medida é suficiente para “garantir a ordem pública”, juntamente com o uso de tornozeleira eletrônica.

    O parecer foi dado no habeas corpus no qual a defesa de Jefferson pede a concessão de liberdade ou a prisão domiciliar. O caso é relatado pelo ministro Edson Fachin.

      No dia 13 de agosto, a Polícia Federal (PF) prendeu Roberto Jefferson. Os agentes cumpriram mandado expedido pelo ministro Alexandre de Moraes. A prisão foi justificada após publicações de supostos ataques aos ministros da Corte nas redes sociais do ex-deputado.No entendimento de Lindôra Araújo, Roberto Jefferson também deve cumprir prisão domiciliar em função de seu estado de saúde.  

    No pedido de habeas corpus, os advogados informaram que o ex-parlamentar tem indicação para angioplastia coronariana e crises de pielonefrite (inflamação nos rins). “Verifica-se, portanto, a comprovação inequívoca da imprescindibilidade da prisão domiciliar para o indispensável tratamento médico incompatível com o sistema prisional”, opinou a subprocuradora.

    *Com informações da Agência Brasil 

    Leia mais:

    "Medida descabida", diz Queiroga sobre passaporte sanitário

    Moraes afasta delegado que investigava interferência de Bolsonaro

    Consumo de bebida alcoólica pode ser proibido em ônibus de Manaus