Fonte: OpenWeather

    Senado


    "Inegociável", diz presidente do Senado sobre democracia

    Em reunião com governadores, Rodrigo Pacheco discutiu a importância da defesa da democracia, a retomada do diálogo pleno entre os Poderes e a necessidade de distensionar o clima de instabilidade institucional

     

    Além da defesa da democracia, governadores apresentaram uma pauta com medidas de interesse dos estados, entre elas, a intermediação do Congresso na busca de mais vacinas.
    Além da defesa da democracia, governadores apresentaram uma pauta com medidas de interesse dos estados, entre elas, a intermediação do Congresso na busca de mais vacinas. | Foto: Divulgação


    Brasília - A pedido dos chefes dos Executivos estaduais, o presidente do Senado, Rodrigo Pacheco, promoveu, nesta quinta-feira (2), uma reunião na residência oficial da Presidência do Senado, no Lago Sul, em Brasília. Na ocasião, os parlamentares discutiram a importância da defesa da democracia, a retomada do diálogo pleno entre os Poderes e a necessidade de distensionar o clima de instabilidade institucional.

    Pacheco salientou que a democracia é “inegociável” e deve ser considerada um “ativo” do país.

    "

    "Não se negocia a democracia. O Estado de direto é inegociável. A preservação do Estado de direito, da democracia deve ser sempre considerada como um ativo nacional para termos uma evolução do país e construirmos uma sociedade mais justa. Não é possível interromper o diálogo com nenhum dos Poderes, com nenhuma das instituições. E não é possível não ouvir governadores dos estados. Um diálogo se constrói na busca de convergências e consensos, mas respeita divergências. É um exercício democrático "

    , apontou o presidente do Senado.

     

    O governador do Distrito Federal, Ibaneis Rocha, agradeceu o apoio do Senado aos pleitos dos gestores estaduais e manifestou preocupação com o “esgarçamento das relações entre os Poderes”.

    "Existe unanimidade que temos que caminhar juntos pela democracia e distensionar este país. Temos um reflexo muito ruim tanto na economia, quanto aos encarecimentos de produtos. A gente busca dissipar este ambiente", apontou. 

      Além da defesa da democracia, governadores apresentaram uma pauta com medidas de interesse dos estados, entre elas, a intermediação do Congresso na busca de mais vacinas. Segundo Ibaneis Rocha, contratos estão vencendo e há uma preocupação que comece uma “corrida por vacinas”. Wellington Dias, governador do Piauí, afirmou que conselhos dos estados e municípios vão apresentar uma nota técnica ao Senado com a intenção de abrir diálogo com o Ministério da Saúde para a renovação de contratos via Plano Nacional de Imunização (PNI).  

    *Com informações da Agência Senado

    Leia mais:

    "Será liberado", diz Romero Reis sobre ato bolsonarista na Ponta Negra

    Em menor número, indígenas ainda acampam no DF contra Marco Temporal

    Bolsonaro sanciona lei que revoga LSN, mas veta punição a fake news