Fonte: OpenWeather

    7 de setembro


    "Nunca serei preso por canalhas", diz Bolsonaro, atacando Moraes

    Em discurso a apoiadores na Avenida Paulista, o chefe de Estado também chegou a dizer que não seguiria as "quatro linhas da Constituição"

     

    Na ocasião, o presidente voltou a tecer ameaças ao Supremo Tribunal Federal (STF), fazendo referências diretas ao ministro Alexandre de Moraes, do STF.
    Na ocasião, o presidente voltou a tecer ameaças ao Supremo Tribunal Federal (STF), fazendo referências diretas ao ministro Alexandre de Moraes, do STF. | Foto: Reprodução


    São Paulo – Nesta terça-feira (7), o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) esteve presente na Avenida Paulista, em São Paulo, durante manifestações do movimento de direita conservador do país. Na ocasião, o presidente voltou a tecer ameaças ao Supremo Tribunal Federal (STF), fazendo referências diretas ao ministro Alexandre de Moraes, do STF.

    "

    Temos um ministro dentro do Supremo que ousa continuar fazendo aquilo que nós não admitimos. Um ministro que deveria zelar pela nossa liberdade, pela democracia, pela Constituição, faz exatamente o contrário. Ou esse ministro se enquadra ou ele pede pra sair. Não vamos mais admitir pessoas, como Alexandre de Moraes, que desrespeitam nossa Constituição "

    , alegou.

     

    O titular do Planalto questionou a independência do Supremo: “Respeitamos todas as instituições. Quando alguém do Poder Executivo começa a falhar, eu converso com ele. Se não se enquadra, eu demito. Quando um deputado ou senador começa a fazer algo que está fora das quatro linhas, ele é submetido ao conselho de ética e pode perder seu mandato. Mas no STF isso não acontece.”

    Alexandre de Moraes, por sua vez, é responsável pelo inquérito que investiga o financiamento e organização de atos contra as instituições e a democracia, pelo qual já determinou prisões de aliados do presidente e de militantes bolsonaristas. Bolsonaro é alvo de cinco inquéritos no Supremo e no Tribunal Superior Eleitoral.

    Impeachment

    Bolsonaro também atacou aqueles que mencionam a possibilidade de impeachment ou apontam supostos crimes cometidos por sua administração. “E dizer àqueles que querem me tornar inelegível: só Deus me tira de lá”, disse. E avisou: “Quero dizer aos canalhas que eu nunca serei preso!”

    Assim como em Brasília,  o presidente voltou a falar sobre a possibilidade de não seguir a Constituição.

    "

    A indignação de vocês foi crescendo. O nosso povo sempre primou pela liberdade, sempre respeitamos as leis e a nossa Constituição. Esse presidente que vos fala sempre esteve dentro das quatro linhas da Constituição. Agora, chegou o momento de dizermos às pessoas que abusam da força e do poder, de dizer que agora tudo vai ser diferente "

    , apontou.

     

    O presidente fez seu discurso no alto de carro de som localizado perto do Parque do Trianon. O trecho na Avenida Paulista chegou a ser isolado por grades para possibilitar o acesso do presidente ao local.

    Leia mais:

    "Marcha das mulheres" reunirá mais de 4 mil indígenas em Brasília

    Arcebispo de Manaus convida para Grito dos Excluídos e Excluídas dia 7

    Bolsonaro faz ameaça golpista ao Supremo em discurso para apoiadores