Fonte: OpenWeather

    7 de setembro


    Manifestações pelo país pedem Impeachment de Bolsonaro

    Sob o título "Grito dos Excluídos", os manifestantes criticaram o presidente pela alta no desemprego e na fome

     

     

    As pautas dos participantes do ato também incluem a defesa dos territórios e do direito à terra, a dignidade e o acesso aos direitos básicos de segurança alimentar, soberania popular, protagonismo da juventude e das mulheres
    As pautas dos participantes do ato também incluem a defesa dos territórios e do direito à terra, a dignidade e o acesso aos direitos básicos de segurança alimentar, soberania popular, protagonismo da juventude e das mulheres | Foto: Reprodução


    São Paulo - Em meio às manifestações pró-Bolsonaro pelo país neste dia 7 de setembro, o movimento de oposição ao Governo Federal também ganhou forças na tarde desta terça-feira. Sob o título "Grito dos Excluídos", o ato contou com o apoio de diversas capitais pelo país, e ocorreu simultaneamente com eventos do movimento conservador, por volta das 15h.

      Em São Paulo, manifestantes concentraram-se no no Vale do Anhangabaú, região central da capital. O ato é organizado por partidos da esquerda, como PT, PSOL, PCdoB e por centrais sindicais, como a CUT (Central Única dos Trabalhadores). Na ocasião, palavras de ordem eram entoadas pelos presentes, que gritavam "fora Bolsonaro".  

    Pouco antes do início das manifestações, a CUT promoveu uma distribuição de alimentos (com feijão, arroz, legumes, saladas e frutas) oriundos de agricultura familiar.

    Brasília

     

    O Grito dos Excluídos é uma manifestação que ocorre tradicionalmente há 27 anos, no dia 7 de setembro, em defesa de pautas que, na avaliação dos organizadores, não são priorizadas pelo governo federal.
    O Grito dos Excluídos é uma manifestação que ocorre tradicionalmente há 27 anos, no dia 7 de setembro, em defesa de pautas que, na avaliação dos organizadores, não são priorizadas pelo governo federal. | Foto: Reprodução


    Já na região Central de Brasília, próximo à Torre de TV, um grupo de manifestantes se reuniu em defesa das causas da população mais vulnerável, contra o desemprego e a fome e pelo direito à moradia e à saúde. Durante o ato, foi feita uma arrecadação de alimentos que serão doados para o acampamento da Marcha das Mulheres Indígenas, que também começa hoje, em Brasília.

    Uma das autoridades a discursar no evento foi o deputado distrital Fábio Félix (PSOL), que falou sobre o que chamou de ameaças ao processo eleitoral e à democracia. “Mas não vão nos intimidar, as ruas da capital federal não são as ruas do autoritarismo, as ruas da capital federal são as ruas da resistência. Nós temos que 'impeachmar' e retirar Bolsonaro já”, disse. 

    Pela manhã, também houve atos a favor do presidente, em Brasília.

    Grito dos Excluídos

      O Grito dos Excluídos é uma manifestação que ocorre tradicionalmente há 27 anos, no dia 7 de setembro, em defesa de pautas que, na avaliação dos organizadores, não são priorizadas pelo governo federal. As pautas dos participantes do ato também incluem a defesa dos territórios e do direito à terra, a dignidade e o acesso aos direitos básicos de segurança alimentar, soberania popular, protagonismo da juventude e das mulheres.  

    Este ano, o ato também se uniu à campanha de diversos movimentos sociais que pedem a saída do presidente Jair Bolsonaro, argumentando que as ações e omissões do governo federal impulsionaram o cenário de crise em que o país se encontra.

    *Com informações da Agência Brasil

    Leia mais:

    "Marcha das mulheres" reunirá mais de 4 mil indígenas em Brasília

    Arcebispo de Manaus convida para Grito dos Excluídos e Excluídas dia 7

    Bolsonaro faz ameaça golpista ao Supremo em discurso para apoiadores