Fonte: OpenWeather

    CPI


    Após CPI, Luciano Hang diz que decidirá sobre candidatura só em 2022

    Dono da rede Havan vem sendo estimulado pelo presidente Jair Bolsonaro e por aliados para disputar uma vaga ao Senado por Santa Catarina

     

     

    | Foto: Divulgação

    Brasília - Nesta quarta-feira (29), após usar o depoimento à CPI da Covid-19 como palanque eleitoral, o empresário bolsonarista Luciano Hang se classificou, como “ativista político” e afirmou que só vai decidir sobre uma possível candidatura ao futuro pleito em 2022. “Vou pensar até o último dia, não sei se março, abril, mas fica em aberto a minha possibilidade na vida pública”, declarou Hang, após a sessão, ao lado de senadores governistas.

    "

    Eu sou um ativista político. Em 2022 vou pensar o que fazer. Mas eu acho que as pessoas, empreendedores, empresários, precisam aprender que nós não vamos mudar esse país sentado no sofá da nossa casa. Precisamos ajudar, produzindo lei, reduzir o Estado, a burocracia, fazendo com que esse o país cresça, gerando empregos "

    , discursou o Veio da Havan.

     

    Durante o depoimento à CPI, Hang destacou reiteradamente a sua origem humilde, enalteceu o que seria sua história de superação e divulgou um vídeo promocional da sua rede de lojas. Em meio à autopromoção, o presidente da comissão, Omar Aziz (PSD-AM), enquadrou o empresário: “O senhor não é mais honesto do que ninguém aqui”.

      Hang vem sendo estimulado pelo presidente Jair Bolsonaro (sem partido) e por aliados para disputar uma vaga ao Senado pelo estado de Santa Catarina. Apenas uma vaga à Casa Alta, por estado, estará em jogo no pleito do próximo ano, no caso a do senador Dario Berger (MDB-SC). O senador Jorginho Mello (PP-SC) se articula para disputar o governo do estado.  

    *Com informações do Metrópoles

    Leia mais:

    “Paulo Guedes usa inflação para atacar Zona Franca", diz Zé Ricardo

    CPI: Luciano Hang nega envolvimento com "gabinete paralelo"

    Após veto derrubado, Bolsonaro promulga lei das federações partidárias

    Comentários