Fonte: OpenWeather

    Política


    Alessandra Campêlo cobra data-base para PM e Bombeiros

    Usando a tribuna da Assembleia Legislativa, a parlamentar enfatizou que não aceitará “dois pesos e duas medidas” no tratamento que foi dado na recomposição salarial da Polícia Civil em relação ao que se cogita para PM e Bombeiros

    A deputada estadual Alessandra Campêlo (MDB) voltou a cobrar o pagamento da data-base para os policiais militares e bombeiros militares da forma como foi negociado entre as entidades que representam as duas corporações e o governador Amazonino Mendes (PDT).
    A deputada estadual Alessandra Campêlo (MDB) voltou a cobrar o pagamento da data-base para os policiais militares e bombeiros militares da forma como foi negociado entre as entidades que representam as duas corporações e o governador Amazonino Mendes (PDT). | Foto: Divulgação

    Manaus - A deputada estadual Alessandra Campêlo (MDB) voltou a cobrar o pagamento da data-base para os policiais militares e bombeiros militares da forma como foi negociado entre as entidades que representam as duas corporações e o governador Amazonino Mendes (PDT).

    Usando a tribuna da Assembleia Legislativa nesta terça-feira, 24 de abril, a parlamentar enfatizou que não aceitará “dois pesos e duas medidas” no tratamento que foi dado na recomposição salarial da Polícia Civil em relação ao que se cogita para PM e Bombeiros.

    “Quero dizer que não concordo que o Governo posso usar dois pesos e duas medidas. Já foi aprovado aqui a recomposição salarial da Polícia Civil, dos peritos, e espero que o projeto de lei que venha para cá com a data-base da Polícia Militar que ela venha da forma como foi discutida e negociada pessoalmente pelo governador”, declarou Alessandra.

    Segundo a deputada, a Casa Civil deve ficar atenta em não mandar ao Legislativo a mensagem governamental diferente do que foi tratado com as entidades de representação dos policiais militares e bombeiros militares.

    “Espero que a Casa Civil leve, analise e discuta, seja com as entidades de classe, seja com os policiais, seja com nós parlamentares e traga da forma que foi acertada, porque se não vier aqui receberá emendas para que seja feita da forma que foi acertada”, advertiu a líder do MDB na Assembleia.

    Leia mais:

    Ministros admitem possibilidade de soltura e candidatura de Lula

    LGBTs perde espaço de debate em Manaus

    Você decide: que perfil deve ter o novo governador do Amazonas?