Fonte: OpenWeather

    Política


    Amazonino diz que pedido de impeachment é 'imbecilidade'

    Em coletiva à imprensa governador criticou pedido de impeachment feito pelo deputado Sabá Reis e destacou '"feitos" de seu governo

    Amazonino concede entrevista coletiva à imprensa
    Amazonino concede entrevista coletiva à imprensa | Foto: Janailton Falcão

    Manaus O pedido de impeachment feito pelo deputado estadual Sabá Reis (PR) foi considerado algo “imbecil” aos olhos do governador do estado, Amazonino Mendes (PDT). Ele chamou de politicagem a solicitação feita pelo parlamentar de oposição durante pronunciamento na tribuna da Assembleia Legislativa do Estado do Amazonas (Aleam) na semana passada.

    A declaração foi dada na manhã desta quinta-feira (26), durante coletiva em que foi apresentado um balanço dos seis meses de gestão, na sede do Governo, localizada na Avenida Brasil, bairro Compensa, zona Oeste da capital. Amazonino assumiu a gestão em outubro do ano passado, após eleições suplementares.

    “Eu ri. Com o perdão da expressão, mas achei uma imbecilidade. Isso é politicagem. Fizeram tanta molecagem nesse estado e não vi ninguém falando em impeachment. Não damos importância a coisas sem nexo como essa”, disse.

    O documento que pedia o impeachment foi protocolado na mesa diretora da Aleam na última quarta-feira (18). O autor do pedido, Sabá Reis, alegou que o governador fere a Constituição Estadual ao não prestar contas com a Casa após viagens ao exterior. Além disso, foram apontadas medidas consideradas inconstitucionais, como reformas administrativas e aumentos salariais de secretários estaduais por meio de decretos.

    Em âmbito financeiro, o governador ressaltou que o estado se encontra equilibrado graças às medidas eficazes adotadas por sua gestão.
    Em âmbito financeiro, o governador ressaltou que o estado se encontra equilibrado graças às medidas eficazes adotadas por sua gestão. | Foto: Janailton Falcão

    Na coletiva, estavam presentes todos os secretários de Estado e os deputados Dermilson Chagas (PP) e Wanderley Dallas (SD), da base aliada na Aleam. Amazonino destacou resultados positivos na Secretaria de Segurança Pública (SSP), onde seu vice, Bosco Saraiva (SD), estava à frente até o início de abril, e em áreas como educação e finanças.

    Ele lembrou, ainda, que seu governo assumiu o compromisso de reconstruir o estado e prepará-lo para o futuro. “Não somos milagreiros. Estamos trabalhando com decência, ética e seriedade. Temos que honrar o compromisso que assumimos publicamente de arrumar a casa. Temos trabalhado no resgate dos serviços que deixaram de ser prestados à população”, afirmou.

    Na coletiva, estavam presentes todos os secretários de Estado e os deputados Dermilson Chagas (PP) e Wanderley Dallas (SD), da base aliada na Aleam.
    Na coletiva, estavam presentes todos os secretários de Estado e os deputados Dermilson Chagas (PP) e Wanderley Dallas (SD), da base aliada na Aleam. | Foto: Janailton Falcão

    Em âmbito financeiro, o governador ressaltou que o estado se encontra equilibrado graças às medidas eficazes adotadas por sua gestão. Também falou da retomada de investimentos, principalmente do repasse de mais de R$ 550 milhões destinados aos municípios do interior. Citou o impacto na folha de pagamento do Estado com o cumprimento das datas-bases pendentes dos servidores, que será de aproximadamente R$ 400 milhões.

    Amazonino disse que seu governo assumiu o compromisso de reconstruir o estado e prepará-lo para o futuro.
    Amazonino disse que seu governo assumiu o compromisso de reconstruir o estado e prepará-lo para o futuro. | Foto: Janailton Falcão

    “Isso só foi possível graças a exemplar política financeira que o estado adotou. Em todos os níveis, todos os setores, houve uma mudança substancial. Eu não acho a crítica fazer críticas o tempo todo; já se fez demais aos números passados”, completou.

    Em seu balanço, a segurança pública registrou avanços, como a redução da criminalidade a partir da intensificação das operações integradas de segurança, na capital e interior. “Não teve milagre, foi determinação, trabalho, e vontade específica. Os índices caíram bastante. Em síntese, o governo é outro”, declarou.

    Na saúde, Amazonino citou a revitalização de hospitais no interior e o repasse de recursos para a saúde no interior. “Há dezessete meses os municípios não recebiam recursos da saúde. Hoje, todos os 61 municípios estão recebendo”, concluiu.