Fonte: OpenWeather

    Calote à vista


    Deputado alerta para não cumprimento de empenhos feitos por Amazonino

    Sidney Leite (PSD) diz que o governo dará calotes em fornecedores, deixando a conta para Wilson Lima

    | Foto: Fabiane Morais

    Manaus -O deputado Sidney Leite (PSD) fez um alerta a respeito dos empenhos que o atual governo estadual tem feito, mas que não serão honrados, ontem (13), na Assembleia Legislativa do Amazonas Aleam. Conforme o parlamentar, há um calote anunciado a fornecedores e muitos empenhos deverão ser anulados para que o Estado possa cumprir a Lei de Responsabilidade Fiscal (LRF).

    “Não dá mais para aceitar isso como se nada estivesse acontecendo. Temos que acompanhar quantos empenhos e pagamentos o governador eleito irá fazer e quais condições, se serão por reconhecimento de dívida ou se vai abrir processo para verificar e apurar se realmente essas despesas foram realizadas e que modo foram feitas”, alerta o deputado.

    Leite ressaltou que, ao contrário do que o governo vem veiculando na publicidade institucional e, em matérias jornalísticas, de que vai finalizar a gestão com as finanças em dia, isso não procede.

    “A situação do Estado está muito grave e, isso foi dito por técnicos da Secretaria de Fazenda em audiência pública nesta casa, de que a folha de pagamento do Estado já extrapolou o limite prudencial da LRF e, isso, sem considerar os terceirizados da saúde de outras áreas que prestam serviço ao governo”, observa.

    Para o deputado, o governador eleito Wilson Lima (PSC) vai receber o Estado com um rombo nas contas públicas bastante significativo e, alertou que, quem tem dinheiro a receber do Estado vai bater na porta do novo governador, a partir de janeiro de 2019.

    Honraria na Aleam

    Os 24 deputados da Aleam entregaram na tarde de ontem (13), a Medalha da Ordem do Mérito Legislativo a personalidades locais, cujos serviços prestados tem alta relevância à sociedade amazonense. A cerimônia ocorreu no auditório Belarmino Lins.

    A honraria foi instituída em 2002, através da Resolução Legislativa nº 319, de 14 de agosto de 2002 e confirmada pelo Projeto de Resolução Legislativa nº 16, de 1º de agosto de 2002. É concedida a soberanos chefes de Estado e de governo, políticos, magistrados, membros do Ministério Público, militares, diplomatas, professores, cientistas, escritores, servidores públicos, desportistas e outras personalidades, pelos respectivos e relevantes serviços vinculados ao cumprimento do interesse público.

     Por tradição, cada um dos 24 deputados estaduais indica uma personalidade para receber a homenagem. Um nome também é indicado pela Mesa Diretora e outro nome pelo Conselho de Ordem.

    Leia mais:

    Votação para cassar o mandato de 'Chico Doido' começa com tumulto

    Bolsonaro quer doar mais de R$ 1 milhão de sobras de campanha

    Projetos de Lei para gestantes e idosos são aprovados na Aleam