Fonte: OpenWeather

    Política


    Comissão quer federalizar caso de pedofilia em Coari

    A relatora da CPI (Comissão Parlamentar de Inquérito) que investiga a exploração sexual de crianças e adolescentes, deputada Liliam Sá (PROS-RJ), quer denunciar o caso do prefeito de Coari, no Amazonas, Adail Pinheiro (PRP), suspeito de envolvimento com pedofilia. As informações são da Agência Câmara Notícias.

    Com 77 mil habitantes, a cidade fica às margens do rio Solimões, no interior do Amazonas. No ano passado, Adail Pinheiro, acusado de pedofilia, foi convocado pela CPI e assumiu casos de nepotismo na prefeitura, mas negou a exploração sexual de meninas.

    Novas provas

    Integrantes da CPI tentam trazer a investigação do caso para o âmbito federal. Para eles, a apuração no Estado está contaminada por laços familiares e de amizade que unem acusado e autoridades responsáveis pela investigação.

    Novas provas apresentadas pelo Ministério Público, segundo a deputada, comprovam o envolvimento dele nos crimes. “Queremos finalizar com a questão do Amazonas, porque o maior pedófilo que conhecemos, que foi apontado como maior pedófilo do Brasil, ainda está solto e tem cargo de prefeito. Nós queremos ver aonde vai acabar toda essa história que envolve o Adail Pinheiro, prefeito de Coari.”

    Legislação

    A presidente da CPI, deputada Érika Kokay (PT-DF), sugere alterações na legislação para combater casos como esse. “É preciso que a gente assegure a possibilidade de federalizar todos os casos de violação de direitos humanos e particularmente de violação de direitos de crianças e adolescentes que envolvam pessoas que têm muito poder regional, poder político ou poder econômico.”