Fonte: OpenWeather

    Política


    Conhecido marqueteiro da política, Egberto Batista já está dando expediente no AM

    Responsável pela coordenação de campanhas para o ex-senador Gilberto Mestrinho (já morto), o ex-prefeito Amazonino Mendes (PDT) e o senador Alfredo Nascimento (PR), o famoso marqueteiro Egberto Batista já está em cena para as disputas eleitorais deste ano. Com bloquinhos em mãos, o consultor internacional para assuntos políticos e empresariais esteve ao lado do pré-candidato ao Senado, Omar Aziz (PSD), durante as entregas de obras e eventos que antecederam a sua desincompatibilização do governo.


    Conhecido no meio político como “bruxo”, o irmão do ex-senador pelo Amazonas Gilberto Miranda, afastado do Congresso Nacional em 2005 sob fortes escândalos, Egberto Batista teve a primeira aparição registrada pela reportagem na noite da última quarta-feira, quando chegou junto com Omar Aziz à cerimônia de posse de Cleinaldo de Almeida Costa, eleito reitor da Universidade do Estado do Amazonas (UEA), redemocratizada pelo ex-governador.


    No evento, Amazonino Mendes (PDT), figura íntima a Egberto, compôs o palanque de Omar ao lado de José Melo (PROS) e de Cleinaldo Costa. Batista coordenou campanhas vitoriosas para o ex-prefeito nas eleições de 1994 e 1998 e também nas eleições de 2004 e 2006, tendo sido derrotado nestas últimas duas. Antes de iniciar o esperado discurso após um longo período distante dos palanques, Amazonino cumprimentou, de longe, seu velho amigo e consultor.


    Na manhã do dia seguinte, quinta-feira, Batista chegava novamente junto com Omar no evento em que o então governador fez entregas para a área da saúde na Zona Oeste. O marqueteiro, que foi Secretário de Desenvolvimento Regional no governo do ex-presidente da República Fernando Collor de Mello, poderosa pasta que à época comandava a Superintendência da Zona Franca de Manaus (Suframa), passeou pelo ambiente, conversou com secretários e anotou o telefone de uma popular que acompanhava o evento.


    Abordada pela reportagem, a moradora das proximidades do local informou que Egberto a havia convidado para trabalhar como cabo eleitoral na campanha de Omar pela única vaga do Amazonas no Senado. Ela não quis se identificar, mas disse que aceitou com muita “animação” o convite de Egberto. “Eu sempre trabalhei para o Omar. Quero repetir neste ano. Ele é nosso candidato”, disse.


    Questionado sobre a presença de Egberto junto à comitiva oficial do ex-governador Omar Aziz nos eventos, o secretário de Governo e titular da Casa Civil, Raul Zaidan, afirmou que os convites não partiram da Segov e que não sabia os motivos da presença do marqueteiro. O mesmo posicionamento foi registrado pela equipe de cerimonial do governo, responsável pelo envio de convites.


    Egberto marcou presença também no último ato de Omar Aziz à frente do Executivo estadual, na sexta-feira, quando assinou a ordem de serviço para o início das obras da primeira etapa da Cidade Universitária da UEA, no KM 7 da AM 070, no município de Iranduba, uma das “meninas dos olhos” do pré-candidato. No canteiro de obras, a maioria presente era de secretários e assessores, que aproveitaram a ocasião para fazer fotos junto ao ex-governador, num clima de despedida.

    Orientações
    O comportamento de Batista no local era de total integração à alta cúpula do governo. Ele sugeria fotos, coordenava a imprensa e conversava constantemente com José Melo, que, horas mais tarde, recebeu a faixa de governador em cerimônia solene realizada no Teatro Amazonas.


    Egberto Batista, que tem registros de participação nas articulações nacionais que resultaram na fundação do partido de Omar, o PSD, disse que não concede mais entrevistas e que “só trabalha entre amigos”. Ele não confirmou qualquer contratação para coordenar campanhas para Omar ou José Melo, mas fez constatações sobre o atual cenário político do Estado. Para ele, a desincompatibilização de Omar representa um passo à frente nas conversas, mas, segundo o marqueteiro, ainda falta outra peça: a configuração do palanque tucano.