Fonte: OpenWeather

    Cotão


    Silas Câmara e Bosco Saraiva gastam R$ 436 mil no 1º semestre de 2019

    Os gastos dos dois parlamentares são com locações de aeronaves, divulgação do exercício parlamentar, serviços postais e emissão de bilhetes aéreos

    Silas Câmara é deputado federal pelo SD, no Amazonas
    Silas Câmara é deputado federal pelo SD, no Amazonas | Foto: Reprodução

    Os deputados federais Silas Câmara (PRB) e Bosco Saraiva (SD) foram os parlamentares amazonenses que mais utilizaram a Cota Parlamentar neste primeiro semestre na Câmara dos Deputados. Juntos, eles totalizaram um gasto de R$ 436 mil, com locações de aeronaves, divulgação do exercício parlamentar, serviços postais e emissão de bilhetes aéreos. Na contramão, os que menos gastaram foram Alberto Neto (PRB), que contabilizou R$ 93 mil e Sidney Leite (PSD), que usou apenas R$ 76 mil. Além do benefício mensal, no valor de R$ 43.570,12, eles ainda contam com salário de R$ 33 mil e mais R$ 111 mil para despesas com a contratação de pessoal.

    Silas Câmara é deputado federal pelo PRB, no Amazonas
    Silas Câmara é deputado federal pelo PRB, no Amazonas | Foto: Divulgação

    Nos dados disponíveis no Portal de Transparência da Câmara, é possível observar que Silas usou até junho R$ 234 mil, valor que corresponde a 87,99% do valor disponível para uso. Além disso, o mês de janeiro, período em que não há atividade parlamentar, foi contabilizado um total de R$ 47 mil, valor inferior somente ao mês de abril em que foi totalizado um gasto R$ 51 mil. Em fevereiro, houve o uso de R$ 43 mil, março de R$ 34 mil e junho R$ 40 mil. O mês em que menos o parlamentar gastou foi em maio, que registrou um gasto de R$ 16 mil.

    Dentro desses valores totais, R$ 50 mil foram destinados a locação de aeronaves, R$ 130 mil com divulgação parlamentar e RS 18 mil com bilhetes aéreos.

    Bosco Saraiva

    Já Bosco Saraiva contabilizou o uso de R$202 mil, que corresponde a 90,81% do total disponível. Conforme levantamento no site da Câmara, o mês de fevereiro, que marcou a chegada dele à casa, teve o maior gasto, um total de R$ 59 mil, seguido de março com R$ 55 mil, abril com R$ 47 mil, maio R$ 39 mil e junho com R$ 972.

    Dentre os gastos que mais chamam atenção está o aplicado a empresa que promove a segurança do parlamentar, que contabilizou um gasto de R$ 34 mil de janeiro a maio. Com locação de veículos automotores, houve um gasto total de R$ 20 mil, e R$ 37 mil com fretamento de embarcações. Com telefonia ele pagou quase R$ 3 mil.

    "Gabinete organizado", segundo Bosco

    Ao ser questionado sobre os gastos iniciais do início da legislatura, Bosco informa que “o gabinete está devidamente organizado e distribuído entre o escritório de Manaus e o gabinete de Brasília da Câmara dos Deputados e inclui-se também a Comissão de Desenvolvimento Econômico, Indústria, Comércio e Serviços (Cdeics), a qual eu presido”.

    Sobre para quais viagem utilizou o fretamento de embarcações, o parlamentar justifica que está deputado, mas é um vereador em essência. “Não sou tribuno e entendo que um parlamentar não pode simplesmente ser eleito e esquecer sua base. Precisamos estar atentos e presentes. O investimento em fretamento me levou, de fevereiro a maio, a 29 localidades. Seguirei perto e solidário aos problemas da sociedade que me credita confiança. Não dá para legislar só do gabinete ou da tribuna”, acrescentou.

    Sobre as intenções para o segundo semestre, ele garante que “pretende seguir exatamente nessa atividade intensa de presidência dessa importante comissão (CDEICS) e sem deixar de lado a visitação às nossas bases eleitorais, em sua maioria na região metropolitana de Manaus”.

    Saldo não usado, fica acumulado

    De acordo com regimento interno da casa, o saldo não utilizado no mês, acumula-se ao longo do exercício financeiro, vedada a acumulação de um exercício financeiro para o seguinte. No caso de reembolso, o deputado tem até 90 dias para apresentar a documentação comprobatória do gasto, depois da data de prestação do serviço ou de fornecimento do produto. Concluído o processo de conferência dos documentos exigidos para reembolso – cujo prazo varia em função do volume e da complexidade do material apresentado –, o valor a ser reembolsado é depositado na conta do parlamentar em até 3 dias úteis.

    Econômico

    O deputado capitão Alberto Neto, responsável pelos menores gastos na casa, contabilizou o maior uso de verba pública, em abril, mês que atingiu de R$ 29 mil do valor disponível. Deste abril, o maior gasto deles até junho, tem sido com a divulgação da atividade Parlamentar, em que gastou um total de R$ 26 mil. Questionado sobre o uso consciente da Cota Parlamentar, Alberto informa que usa o benefício de acordo com as demandas e que o importante é usar o valor com eficiência. “Nossa intenção é utilizar este recurso para tornar o Amazonas próspero”, concluiu.

    A reportagem tentou contato com o deputado federal Silas Câmara pelo telefone de final 1043, mas não obteve sucesso.

    Leia mais:

    Receba as principais notícias do Portal Em Tempo direto no Whatsapp. Clique aqui!

    Deputados federais no AM: muitos gastos e pouca produtividade

    Bancada do AM diverge sobre aposentadoria de políticos