Fonte: OpenWeather

    Reforma da Previdência


    PDT ameaça expulsar deputados que votarem a favor da Reforma

    Ciro Gomes, inclusive, chegou a ligar para a Tabata Amaral (PDT-SP), que já indicou votar a favor

    Tabata lidera um grupo dentro do partido que promete acompanhá-la na votação
    Tabata lidera um grupo dentro do partido que promete acompanhá-la na votação | Foto: Divulgação

    Após o presidente do Partido Democrático Trabalhista (PDT) declarar que os deputados que votarem a favor da Reforma da Previdência, que entrará em discussão ainda nesta quarta-feira (10) na Câmara Federal, deverão ser punidos com expulsão da sigla, os holofotes recaíram sobre a deputada Tabata Amaral (PDT-SP), que é grande defensora do projeto. 

    Segundo informações do site UOL, Tabata, inclusive, lidera um grupo dentro do partido que promete acompanhá-la na votação desta quarta-feira (10). A matéria se encontra em debate no Legislativo.

    A reportagem revelou, ainda, que o candidato pela sigla na disputa presidencial, Ciro Gomes, chegou a telefonar para a federal na tentativa de convencê-la a seguir a orientação do presidente e votar contrário a matéria.

    Porém, ao que tudo indica, a parlamentar segue convicta de votar pela aprovação. Ciro escreveu no Twitter que defenderá que o PDT expulse aqueles que “votarem contra o povo” na reforma da previdência considerada por ele “elitista”.

    O presidente da sigla, Carlos Lupi, estima que de três a sete deputados votem favorável à matéria. Porém, se comprometeu a trabalhar para diminuir o que chamou de “estrago”.

    Lupi lembrou, ainda, que em convenção nacional realizada no dia 18 de março, o partido decidiu se opor à reforma. Para ele, desrespeitar essa decisão é algo grave. O presidente completou dizendo que os desobedientes vão enfrentar processo na Comissão de Ética.

    Edição: Isac Sharlon

    Leia mais:

    Receba as principais notícias do Portal Em Tempo direto no Whatsapp. Clique aqui!

    Câmara: líderes articulam votação da reforma nesta terça-feira (9)

    Maia quer aprovar texto-base da Previdência até quarta-feira (10)