Desabafo


Braga aponta incoerência no discurso sobre a ZFM

Para Braga, modelo econômico da Zona Franca de Manaus é incentivo a proteção ambiental

Eduardo Braga dispara que ZFM é o modelo econômico mais bem sucedido do mundo | Foto: Divulgação

Amazonas - Em artigo publicado na edição desta sexta-feira (31/01) do jornal Folha de S.Paulo, o senador Eduardo Braga (MDB/AM) chama atenção para o discurso contraditório e incoerente do ministro Paulo Guedes, da Economia, sobre o modelo Zona Franca de Manaus (ZFM). 

“O ministro deixou claro o papel estratégico da ZFM ao declarar, em Davos, que o pior inimigo do meio ambiente é a pobreza”, afirma o parlamentar na publicação. “É só usar o raciocínio lógico, herdado do sábio Aristóteles: se a melhor maneira de proteger o meio ambiente é combater a pobreza e se a ZFM é um mecanismo exemplar de combate à pobreza, a conclusão é que o modelo de incentivos tributários implantado em Manaus é uma excelente opção de proteção ambiental”, completa Eduardo. 

O senador ressalta, ainda, que, ao alvejar a ZFM, a equipe econômica chefiada pelo ministro ameaça “uma cadeia econômica complexa, com centenas de empresas que levam trabalho e desenvolvimento a brasileiros antes esquecidos e abandonados na Amazônia, sem oportunidades de emprego e renda”. 

Eduardo, então, questiona: “Qual será a opção para quase meio milhão de brasileiros empregados direta ou indiretamente na Zona Franca? A resposta, mais uma vez, está na declaração de Guedes, em Davos: eles vão destruir a floresta, porque “precisam comer”.

Segundo o parlamentar, quem aponta privilégios tributários para a ZFM desconsidera a longa história de descaso para com a região amazônica e as dificuldades de logística no nosso Estado. “Por ignorância ou má fé, também não leva em conta o retorno ambiental garantido pelo modelo da Zona Franca”, acrescenta.  

“Num tempo em que a arrogância e a falta de diálogo costumam falar mais alto que o interesse público, vale lembrar a lição de outro filósofo grego. “O início da sabedoria é a admissão da própria ignorância”, ensinava Sócrates. A Zona Franca de Manaus está aberta a todos que queiram vencer a ignorância e conhecer de perto um dos modelos de desenvolvimento regional mais bem-sucedidos do mundo”, conclui o senador.