Fonte: OpenWeather

    Polêmica


    ‘Desobediência partidária’ motiva expulsão de Dermilson

    Para o presidente do Progressistas, o deputado federal Átila Lins, o parlamentar não seguiu as orientações pragmáticas do partido por meio de votos e atitudes

    Ao defender-se, o deputado estadual Dermilson Chagas aponta que a atitude é retaliação | Foto: Divulgação

    Manaus - A expulsão do deputado estadual Dermilson Chagas (Sem partido), da legenda partidária ‘progressistas’, (antigo PP) foi anunciada pelo presidente do partido no Amazonas, o deputado federal Atila Lins (Progressistas). A expulsão ocorreu durante o expediente da mesa diretora, na manhã de ontem (11) e deve ser enviado para chancela do presidente da Assembleia Legislativa do Amazonas (Aleam), o deputado estadual Josué Neto (sem partido).

    Na justificativa de Átila Lins, o parlamentar Dermilson teria desobedecido as orientações pragmáticas do partido e representava votos e atitudes, que não seguiam o estatuto do partido.

    Em defesa, Chagas afirma que sua remoção da legenda, trata-se de ‘retaliação direta’, pois sempre foi oposição ao governo. Ele ainda garantiu que a jurisprudência deve auxilia-lo a manter seu mandato. “Estou tranquilo pois existem  jurisprudências capazes de me manter no cargo. Hoje minha atuação dentro da Aleam, acarretou essa expulsão, mas ainda tenho tempo para pensar e decidir por um novo partido”, comentou Chagas.