Amazonas


‘Bancada da bala’ propõe soluções para segurança

A reunião de emergência convocada pelo governador e deputados deve indicar planos para enfrentar a crise no Estado

Manaus – A  ‘bancada da bala’ do Amazonas, formada pelos parlamentares Capitão Alberto Neto (Republicanos), e Delegado Pablo Oliva (PSL), propôs em reunião extraordinária, realizada ontem (11), para realizar ações que coíbam a ação de grupos criminosos na cidade. O encontro avançou pela noite e contou com a presença de Sérgio Moro, ministro da Justiça e Segurança Pública (MJSP).

A reunião na capital federal foi convocada pelo governador do Amazonas, Wilson Lima (PSC) e contou com a presença do secretário de segurança pública, coronel Louismar Bonates. A pauta do encontro, foram soluções para a disputa entre facções criminosas nas ruas de Manaus, que na noite as segunda-feira (10), ‘comemoravam’ a vitória sob os rivais de crimes com fogos de artifício em vários pontos de Manaus.

A intenção é propor soluções imediatas à crise de segurança pública no Estado, que apenas este ano, registrou 117 mortes violentas no mês de janeiro; a maioria delas ligada ao tráfico de drogas. Além debater as sobre as disputas criminosas nas ruas; que têm amedrontado a população, o reforço no sistema penitenciário no Amazonas, também deve ser abordado.

O governador Wilson Lima, em entrevista a uma rádio local, inicialmente descartou a convocação da força nacional de segurança e a transferência de internos para presídios federais. “Vou relatar ao Ministro, nossas ações de repressão ao tráfico de drogas, mas entendo que não é necessário convocar a força nacional ou transferir internos. No entanto, não descartamos a possibilidade de fazer um pedido mais efetivo ao ministro Sérgio Moro”, informou Lima.

“Desde o final do ano passado estamos imprimindo um ritmo muito forte de sufocamento as atividades criminosas em Manaus. Essas ‘situações’ que tem acontecido na cidade, são uma reação ao nosso trabalho. Temos acompanhado essas reações e tomamos medidas no sistema penitenciário para evitar quaisquer intercorrências. Montamos um gabinete de crise para tratar a gestão desse problema”, explicou o governador do estado.

Em maio do ano passado, Sérgio Moro visitou presídios do Amazonas, em companhia do deputado Alberto Neto, que preside uma comissão na Câmara federal sobre a pauta. Nas unidades prisionais visitadas pelas autoridades, foram palco de chacinas. Um relatório das diligências feitas no Compaj, no Instituto Prisional Antônio Trindade (Ipat) e no Centro de Detenção Provisória Masculino 1 (CDPM 1) foi entregue ao ministro, para propor intervenções.

“Vou relatar ao Ministro, nossas ações de repressão ao tráfico de drogas, mas entendo que não é necessário convocar a força nacional ou transferir internos. No entanto, não descartamos a possibilidade de fazer um pedido mais efetivo ao ministro Sérgio Moro”, informou Lima.
“Vou relatar ao Ministro, nossas ações de repressão ao tráfico de drogas, mas entendo que não é necessário convocar a força nacional ou transferir internos. No entanto, não descartamos a possibilidade de fazer um pedido mais efetivo ao ministro Sérgio Moro”, informou Lima. | Foto: Divulgação

Reforço na segurança⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀

O governo do Amazonas instalou, na noite da última segunda-feira (10), o Gabinete de Crise da Segurança Pública (GCSP). A medida colocou todo o sistema de segurança em alerta, nas cadeias e nas ruas da cidade. O objetivo do Estado é se antecipar a qualquer tipo de distúrbio provocado por criminosos, em decorrência do intenso combate que o governo vem executando contra o tráfico de drogas. ⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀

Por determinação do governador Wilson Lima, o GCPS foi instalado ainda no início da noite, a necessidade de instalação do Gabinete, foi identificada a partir dos sinais de desentendimento entre integrantes de facções, identificados pelos serviços de inteligência do Estado: da Secretaria de Inteligência (Seai), Polícia Militar e da Secretaria de Administração Penitenciária (Seap).

No fim de semana, as visitas nos presídios foram suspensas, como estratégia para resguardar a vida dos visitantes em caso de confronto entre detentos. O monitoramento é contínuo para a adoção de novas medidas, como isolamento de detentos. As vistorias também foram intensificadas, frequência que será ampliada. Houve reforço também no efetivo da PM em Manaus.

O GCPS também realizou ontem (11), no Centro Integrado de Comando e Controle (CICC), uma entrevista coletiva com os veículos da imprensa. O evento foi criado para dar explicações sobre as ações de prevenção, aplicadas nas ocorrências na capital e nas unidades prisionais.

Essas operações ostensivas realizadas pela Polícia, incluíram barreiras de fiscalização e incursões em áreas com denúncias de tráfico de drogas, e os órgãos do sistema de segurança realizaram inspeção em três unidades prisionais de Manaus