Fonte: OpenWeather

    Urgente


    Contraprova: teste de Bolsonaro para coronavírus dá negativo

    Apesar do primeiro teste ter dado positivo, foi realizado um segundo teste que descartou a contaminação do vírus

    Bolsonaro publicou nas redes sociais realizando um gesto de ofensa para os jornalistas | Foto: Divulgação

    Brasília - Apesar do primeiro teste ter dado positivo, o presidente Jair Bolsonaro realizou um teste de contraprova que deu resultado negativo para o novo coronavírus, segundo informou o próprio presidente, em rede social.

    Bolsonaro começou a ser monitorado desde a manhã de quinta-feira (12), após o secretário de Comunicação da Presidência da República, Fabio Wajngarten, ser diagnosticado com a doença.

    O presidente informou o resultado dos exames no Facebook, com uma foto no qual aparece dando uma banana para jornalistas, em um episódio recente em Brasília.

    Wajngarten participou da comitiva  da viagem presidencial aos EUA e esteve em jantar no sábado com Bolsonaro e Donald Trump. Segundo fontes próximas ao presidente americano, Trump estaria "muito preocupado" após entrar em contato com Wajngarten e Bolsonaro, embora tenha procurado transmitir tranquilidade publicamente.

    Na manhã desta sexta, o secretário de Assuntos Fundiários do Ministério da Agricultura, Luiz Antônio Nabhan Garcia,  o presidente da Fundação Palmares, Sérgio Camargo, e o ministro ministro-chefe da Secretaria de Governo, Luiz Eduardo Ramos, estiveram no Palácio da Alvorada. O presidente recomendou ontem que amigos não o visitassem até que ele recebesse o resultado do teste.

    Na noite de quinta-feira, Bolsonaro  apareceu com uma máscara durante sua tradicional transmissão ao vivo semanal no Facebook. Ele disse que ainda aguardava notícias sobre o teste e orientou que fossem  "repensadas" as manifestações programadas por seus apoiadores para acontecerem no domingo.

    Bolsonaro também apareceu em rede nacional às 20h30m em um pronunciamento gravado no qual não utilizava a máscara. Reiterou sua sugestão para que os protestos a favor do governo não sejam realizados em razão da necessidade de evitar aglomerações de pessoas em meio à crise do coronavírus.