Fonte: OpenWeather

    Coronavírus


    Emendas do Amazonas é de mais de R$ 200 milhões

    Marcelo Ramos apela para que emendas para saúde do Amazonas sejam liberadas para o combate da pandemia

    Marcelo Ramos apela para que emendas destinadas à saúde do Amazonas, sejam liberadas para o combate da pandemia | Foto: Divulgação

    Manaus - Durante a segunda reunião da Comissão Externa da Câmara que companha as ações de enfrentamento à Covid-19, o deputado federal Marcelo Ramos (PL), fez um apelo ao governo federal que libere com a maior urgência possível as emendas parlamentares, destinadas ao combate da pandemia de coronavírus, antes que a crise se aprofunde ainda mais no Amazonas.

    O membro titular da comissão, o deputado federal, teme que com o avanço ao interior e às comunidades indígenas a pandemia se transforme em morticínio. “Tenho visitado os Ministérios numa peregrinação para que os mais R$ 200 milhões destinados pela bancada do Amazonas para a saúde do estado sejam liberados”, disse.

     

    Sem leitos de UTI no interior

    Por videoconferência, também, participaram da reunião o governador do Amazonas, Wilson Lima (PSC), o prefeito de Manaus, Artur Virgílio Neto (PSDB), além de representantes de associações de médicos e enfermeiros. Os números expostos impressionam: nenhum dos 61 municípios do interior do estado possui leitos de UTI. Hoje com um total de 1.039 leitos de capacidade instalada, entre os de UTI e clínicos, o Amazonas necessitaria, para enfrentar a pandemia, de no mínimo 2.190 leitos. Uma defasagem, portanto, de 1.151 leitos.

     

    Liberação de verba

    Durante a reunião da Comissão de acompanhamento à Covid, Marcelo Ramos, informou que foram liberados de suas emendas R$8.493.973,00 para os municípios de Parintins, Tefé, Humaitá e Careiro da Várzea. No entanto, ele pondera que falta mais agilidade para que o Amazonas possa dar as respostas que a população aflita espera.

    “Somente entre as minhas emendas individuais e de bancada, eu destinei R$ 53.700 milhões, dos quais foram liberados mais de R$8.400 milhões. Ou seja, ainda é muito pouco diante do desafio que está sendo para o sistema de Saúde do Amazonas conter essa crise avassaladora”, revelou o parlamentar.

     

    *Com informações da assessoria.