Fonte: OpenWeather

    Luto


    Assessor do Senador Omar Aziz morre de Covid-19

    De acordo com fontes ligadas ao senador Omar Aziz, José Ricardo era uma pessoa amável e querida por todos. O assessor era um dos responsáveis pela agenda política do senador no interior do Estado.

    Após realizar exames, anteriormente, foi constatado que o assessor estava com 25% dos pulmões comprometidos, porém ele decidiu  fazer o tratamento com isolamento domiciliar. Ao retornar ao hospital, em busca de internação, já estava em estado crítico.
    Após realizar exames, anteriormente, foi constatado que o assessor estava com 25% dos pulmões comprometidos, porém ele decidiu fazer o tratamento com isolamento domiciliar. Ao retornar ao hospital, em busca de internação, já estava em estado crítico. | Foto: Divulgação

    MANAUS - O assessor do Senador Omar Aziz, José Ricardo Pereira de Araújo, de 40 anos, morreu na manhã desta terça-feira (5), vítima de Covid-19.  José Ricardo, que era sargento da Polícia Militar, foi internado em Manaus na última sexta-feira (1º), com dificuldades respiratórias.

    Após realizar exames, anteriormente, foi constatado que o assessor estava com 25% dos pulmões comprometidos, porém ele decidiu  fazer o tratamento com isolamento domiciliar. Ao retornar ao hospital, em busca de internação, já estava em estado crítico.

    De acordo com fontes ligadas ao senador Omar Aziz, José Ricardo era uma pessoa amável e querida por todos. Responsável pela agenda política do senador, relacionava-se com prefeitos do interior do Estado.

    Para o presidente da Rede EM TEMPO de Comunicação, Otávio Raman Neves, José Ricardo era um amigo querido. "Senti muito a morte de José Ricardo. Ainda na semana passada o vi e estava alegre e bem de saúde. Fico impressionado como essa doença leva as pessoas de forma tão rápida. Que Deus o tenha em bom lugar e dê consolo a seus familiares", disse. 

    Covid-19

    A Fundação de Vigilância em Saúde (FVS) no Amazonas alerta aos pacientes com Covid-19 para procurarem ajuda médica, rapidamente, em caso de agravamento da doença. Ao mesmo tempo, o pedido do Governo do Amazonas e as recomendações da Organização Mundial de Saúde (OMS) é que as pessoas fiquem em casa, para não ocorrer mais disseminação do vírus.

    Drama de Manaus

    O sistema de saúde estadual entrou em colapso e não conseguiria dar conta do aumento de casos da doença. Entre as quatro cidades brasileiras mais afetadas pelo novo coronavírus, Manaus vive o drama da falta de leitos de UTIs suficientes para atender a demanda de pacientes infectados que, segundo a Fundação de Vigilância em Saúde do Amazonas (FVS), chegou a 8.109 casos confirmados nesta terça-feira, com 649 óbitos registrados pela doença.

    Leia mais:

    www.emtempo.com.br/coronavirus