Fonte: OpenWeather

    Emendas Parlamentares


    Verba de R$ 55 mi de emendas da Aleam é liberada para reforço à saúde

    Com a autorização para pagamento do total de 100 emendas, cerca de 31 municípios do Estado serão beneficiados

    Deputados dizem que liberação do recurso pelo governo vem em boa hora no enfrentamento à pandemia | Foto: divulgação

    Manaus – A liberação do pagamento de R$55 milhões em emendas parlamentares destinadas pelos deputados da Assembleia Legislativa do Amazonas (Aleam), ao enfrentamento à Covid-19 na capital e no interior do Amazonas, vai beneficiar 31 municípios do Estado. Cerca de 100 emendas serão empregadas na aquisição de equipamentos, medicamentos, ambulâncias, construção de institutos, assistência à saúde da família, reformas hospitalares, manutenção de ações de saúde.

    Para Alessandra Campelo (MDB), vice-presidente da Aleam a aplicação do recurso vem em boa hora. “São emendas indicadas pelos deputados e o governo está atendendo, inclusive em tempo recorde. É a primeira vez que se atende tão rápido todas as emendas da saúde. A gente vai poder direcionar, inclusive, para o interior do estado, além de Manaus, que precisa muito, mas os municípios do interior estão sofrendo com a questão do novo coronavírus. Vale lembrar que isso vai passar, e quando isso passar, muitas outras questões de saúde terão que ser resolvidas”, afirmou.

     Já líder do governo, Joana Darc (PL), destacou a importância da liberação das emendas. “Vejo de forma muito positiva porque a gente está em um momento difícil, em que precisamos da união dos poderes, e essas emendas vão proporcionar um atendimento melhor, um investimento na área da Saúde, que agora é nossa prioridade. A gente vai conseguir ajudar os municípios do interior do estado e aumentar, com esse recurso, a capacidade e melhoria dos hospitais aqui em Manaus”, destacou.

    Mayara Pinheiro (Progressistas) diz que essa liberação é extremamente positiva, principalmente para as prefeituras do interior, que têm sofrido com a falta de recursos. "Desde o início do meu mandato, assumi um compromisso com a saúde, por isso não medi esforços e liberei um valor muito maior do que é determinado pela Constituição. Dos R$3.340.597,50, um milhão vai para a capital e o restante será destinado aos municípios do interior. A saúde no Estado do Amazonas pede socorro e a única forma que o Parlamento encontrou para agir diretamente foi abrir mão de seus recursos referentes a emendas parlamentares, para que fossem voltados à ações de prevenção e tratamento do coronavírus", reitera.

    | Foto: Divulgação

     Impeachment

    Após a leitura das denúncias, contra Wilson Lima (PSC) governador do Amazonas e seu vice, Carlos Almeida (PTB), na sessão virtual desta terça-feira, 12, caberá aos partidos da Casa indicarem os membros componentes da Comissão Especial (CE), que analisará os pedidos de impeachment. Segundo a procuradoria da Aleam, a tramitação e análise do pedido, bem como o número de deputados que vão compor a comissão, ainda serão definidos, devido a ineditismo do caso de impeachment no Estado.

    Álvaro Campelo (Progressistas) mencionou que nesta terça-feira (12), deve ocorrer uma reunião para deliberar a questão. “Espero que aconteça uma reunião para tratar do assunto e que possar participar, contribuindo com um pouco da minha experiência como advogado sobre esse processo”.

    Perguntado sobre a CE, que avaliará o impedimento do governador e vice, o deputado Carlinhos Bessa (PV), afirma ainda não saber se fará parte. “Sobre o impeachment não tenho como afirmar ainda se serei membro, pois existe a votação para formação da comissão! Mas ainda posso afirmar que temos que voltar nosso trabalho, para o combate do covid-19, não é hora para isso, precisamos somar forças para diminuir a quantidade de vidas que estão sendo perdidas”, ressaltou.

    Augusto Ferraz (DEM), afirma que deverá esperar o cumprimento do rito na Aleam. “Acredito que exista um rito que tem que ser observado, e faremos isso. Se todos os partidos tiverem que ter membro dentro dessa comissão eu certamente estarei, uma vez que sou o único do partido Democratas no Poder Legislativo”, comentou.

    Dermilson Chagas (Podemos) também seguiu o discurso dos colegas de poder, alegando esperar a decisão de Josué Neto. “Estamos aguardando o presidente dizer como será a formação da comissão, de que forma será composto, se deve acatar proporcionalidade, ou por partido, bloco. Ainda estamos aguardando o Josué tomar as providências junto à Procuradoria da casa. Confesso que também estou aguardando um posicionamento do presidente”, finalizou.