Notas da Contexto


David diz que Avante está pronto para encarar convenções virtuais

Em notas da contexto você lê informações dos bastidores da política. Saiba mais:

No Amazonas, o presidente do Avante, David Almeida, afirma que a sua legenda está pronta para o desafio.
No Amazonas, o presidente do Avante, David Almeida, afirma que a sua legenda está pronta para o desafio. | Foto: Divulgação

Com a data da realização do primeiro turno das eleições municipais prevista para o final de novembro ou início de dezembro, de acordo com o Tribunal Superior Eleitoral, os partidos já buscam se organizar para enfrentar o desafio das convenções virtuais por causa da pandemia do coronavírus.

Marcadas para ocorrerem entre 20 de julho e 5 de agosto, cumprindo o Calendário Eleitoral, os novos critérios impostos pela pandemia às convenções obrigam os partidos a se reinventarem. No Amazonas, o presidente do Avante, David Almeida, afirma que a sua legenda está pronta para o desafio.

“Em tempos de pandemia, precisamos utilizar as ferramentas disponíveis através das tecnologias possíveis. A internet oferece as condições para realização das convenções, mantendo o distanciamento social”, argumenta o ex-deputado, um dos favoritos para vencer as eleições. “O Avante está pronto. Meu planejamento é para eleição em outubro, mas se mudar, mudaremos o planejamento, é a realidade”, opina.

Transparência

Em coletiva, a titular da Susam, Simone Papaiz, disse não haver nada de ilegal na compra emergencial de 28 ventiladores mecânicos importados, em abril passado. A transação, com dispensa de licitação, foi amparada na Lei Federal nº 13.979/2020.

No período, os casos de covid-19 eram alarmantes e havia urgência na luta do Governo do Estado para salvar vidas.

Papaiz explicou que a Controladoria Geral do Estado (CGE) apura a aquisição de respiradores, a exemplo do Ministério Público Estadual. 

Reitores nomeados 

Em todo o país houve forte reação, ontem, à Medida Provisória editada pelo presidente Jair Bolsonaro autorizando o ministro da Educação, Abraham Weintraub, a nomear reitores e vice-reitores de universidades federais sem consulta à comunidade acadêmica. 

A MP determina a substituição dos dirigentes que tiverem mandatos encerrados durante a pandemia de coronavírus.

Inconformado com a regra autoritária, o deputado federal José Ricardo (PT) apresentou requerimento virtual ao Congresso Nacional pedindo a imediata devolução da MP à Presidência da República.

O requerimento propõe também a aprovação de legislação capaz de assegurar a autonomia das universidades, permitindo-as normatizar a escolha de seus dirigentes e eliminando “janelas” que possibilitem novas intervenções autoritárias.

PSOL vai ao STF

O deputado federal Marcelo Freixo (PSOL-RJ) garantiu que o seu partido acionará o Supremo Tribunal Federal (STF) contra a MP que intervém na escolha direta de reitores. 

O presidente da Associação Nacional dos Dirigentes das Instituições Federais de Ensino Superior (Andifes) também veio a público ontem criticar a MP “que atenta de forma absurda contra a democracia em nosso país e a autonomia constitucional de nossas universidades”.

Estados sob risco

De acordo com estudo da consultoria Bain & Company, sete estados brasileiros ainda correm risco de adotar lockdown por não conseguirem baixar os índices de contágio pelo coronavírus: Pará, Amapá, Rio Grande do Norte, Ceará, Maranhão, Pernambuco e Rio de Janeiro. 

O estudo considerou o nível de utilização das unidades de terapia intensiva (UTIs) e a velocidade de contágio da covi-19.

A consultoria alerta para a possibilidade de uma segunda onda da doença no país em virtude da flexibilização da quarentena sem o devido controle em regiões de alta densidade urbana.

Amazonas: alívio

O levantamento da Bain & Company releva a situação do Amazonas, um dos estados mais atingidos no início da pandemia e agora apresentando a estagnação dos casos de contaminação.

No entanto, o diagnóstico não é o mesmo com relação aos outros estados do Norte por conta de fatores críticos como maior número de pessoas morando em cada residência, falta de saneamento básico, nível de ocupação de UTIs e baixo número de profissionais de saúde e de ventiladores disponíveis. 

“Dama de ouro”

Detentora de vários mandatos parlamentares, envolvendo passagens pela Câmara Municipal de Manaus, a ex-deputada Conceição Sampaio (PSDB) é uma “dama de ouro” que o prefeito Arthur Neto (PSDB) trata com carinho no atual tabuleiro político da sucessão municipal.

Com o nome limpo na praça e benquista nas periferias da capital, Conceição está solta, desincompatibilizada da Secretaria Municipal da Mulher, Assistência Social e Cidadania (Semasc), onde foi substituída por Suzy Anne Zózimo Sabino de Araújo.

Prefeitos com Braga

Em live com o senador Eduardo Braga (MDB/AM), na última terça-feira, prefeitos de vários municípios expuseram suas ações de combate ao coronavírus e debateram medidas que o Estado deve adotar no período pós-pandemia visando a retomada das atividades econômicas.

Durante duas horas, os gestores destacaram ao senador as medidas sanitárias implementadas para evitar a proliferação desenfreada da covid-19.

Restrições de acesso às sedes e comunidades, distribuição de máscaras de tecido confeccionadas por costureiras locais, testagem em massa dos pertencentes aos grupos de risco e a contratação de novos profissionais de saúde pontificaram nas ações de combate ao vírus.

Os prefeitos destacaram, ainda, a aquisição de equipamentos necessários aos atendimentos e a disposição permanente de veículos para o transporte dos casos mais urgentes até Manaus. 

Sem casos

Uma das participantes da live com Braga, a prefeita Maria Oliveira, de Ipixuna, narrou como conseguiu manter o seu município sem a ocorrência de nenhum caso ao longo da pandemia de covid-19.

Dentre outras medidas rígidas, a gestora limitou o acesso terrestre, aéreo e fluvial para cargas, descargas e situações emergenciais assim que começaram a ser registrados os primeiros casos da doença em Manaus. 

“Compramos vários insumos, respiradores e testes rápidos. A Unidade Básica de Saúde (UBS) Fluvial, fruto de emenda de Braga ao Orçamento da União, veio no momento certo. Está, agora, numa barreira no alto do Rio Juruá”, disse Maria na live.

Outro município amazonense sem registro de casos é Envira, administrado pelo prefeito Ivon Rates.

Emendas salvadoras

Prefeitos como Bruno Ramalho, de Carauari, e José Bezerra (Zezito), de Tapauá, registraram a importância de emendas de Eduardo Braga ao orçamento da União que garantiram recursos financeiros ao fortalecimento das ações contra a covid-19 no interior do Estado.

Em Carauari, os recursos asseguraram a estruturação da unidade hospitalar local, de modo a evitar o traslado de doentes para a capital.

Em Tapauá, as emendas do senador resultaram no aporte de R$ 30 milhões que permitirão ao prefeito “Zezito”, passada a pandemia, tocar 22 obras, algumas já iniciadas e outras em fase de licitação.

Sessão relâmpago

“Problemas técnicos”, conforme a Diretoria de Informática da Assembleia Legislativa, encerraram a sessão virtual de ontem sem que a Casa votasse o veto do Governo do Estado ao projeto de lei, de autoria do deputado Josué Neto (PRTB), que propõe novos parâmetros à distribuição de gás natural no Amazonas.

Doação de máscaras

A Associação Segeam (Sustentabilidade, Empreendedorismo e Gestão em Saúde do Amazonas) doou cinco mil máscaras de proteção individual de tecido a pacientes inscritos no Ambulatório de Egressos do Programa Pé Diabético, da Susam, e a profissionais e colaboradores da instituição privada.

O programa Pé Diabético é desenvolvido no âmbito da Policlínica Codajás, no bairro Cachoeirinha, Zona Sul de Manaus.