Fonte: OpenWeather

    Assembleia Legislativa


    CPI da Saúde evita ouvir David Almeida e protege Amazonino Mendes

    Comissão negou pedido de David Almeida que queria ser ouvido pela CPI, depois de ter o seu nome citado pelo relator

    David disse que documentos que tem a apresentar provocariam ida de Amazonino à CPI
    David disse que documentos que tem a apresentar provocariam ida de Amazonino à CPI | Foto: Divulgação

    Manaus - Depois que o ex-governador David Almeida (Avante) desafiou o ex-governador Amazonino Mendes (Podemos) a se disponibilizar a falar para a Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Saúde, da Assembleia Legislativa do Estado do Amazonas (Aleam), nesta segunda-feira (27), a comissão fez uma manobra jurídica que protegeu Amazonino de prestar esclarecimentos sobre a saúde na sua gestão.

    Pela manhã desta segunda, David Almeida foi pessoalmente à Assembleia Legislativa, onde protocolou requerimento pedindo para ser convocado pela CPI da Saúde, depois de ter o seu nome e o seu governo citado por membros da comissão, na sexta-feira (23) da semana passada. Na ocasião, ele disse que tinha muito a mostrar e a falar e que depois de ele falar, Amazonino não teria alternativa, senão também prestar esclarecimentos sobre a sua gestão.

    David Almeida protocolou requerimento na Aleam pedindo para ser convocado pela CPI
    David Almeida protocolou requerimento na Aleam pedindo para ser convocado pela CPI | Foto: Divulgação

    Para evitar que Amazonino também fosse chamado pela CPI da Saúde, que foi aprovada com a missão de apurar o que aconteceu com os recursos da saúde pública do Amazonas, no período de 2011 a 2020, o presidente da comissão, deputado Delegado Péricles (PSL) indeferiu ainda pela manhã o pedido de David Almeida. "Recebemos a solicitação do ex-governador David Almeida e indeferimos o pedido. O motivo está no fato de que esta CPI não investiga diretamente pessoas, mas apura fatos supostamente ilegais e, com o desencadear das investigações, é a relação desses fatos com pessoas que as trazem aqui para serem ouvidas”, justificou.

    Para reforçar a tese do seu indeferimento, Péricles afirmou em nota que “o ex-deputado e ex-governador não teve nenhuma relação ao fato apurado. Inclusive, na semana passada, todas as pessoas relacionadas aquele fato - o ex-secretário executivo, a gerente de compras, o médico que prestou o serviço - estão sendo convocados para prestar esclarecimentos à CPI. Futuramente, caso haja algum fato relacionado ao senhor David Almeida, certamente esta CPI irá convocá-lo. Não é a pessoa que se apresenta à esta CPI, mas se houver relação dela com fatos considerados irregulares, certamente ela será convocada".

    David defendeu o direito de falar à CPI da Saúde, porque mesmo com a afirmação do presidente da comissão, na semana passada, o relator da CPI, deputado Fausto Junior (PRTB) citou em entrevistas a portais e blogs supostos superfaturamentos pagos à empresa Norte Serviços, que suspostamente teriam começado no “governo de David Almeida”.

    O ex-governador David chegou a mencionar que iria busca na Justiça o direito de falar à CPI, uma vez que teve o seu nome citado pelo membro da comissão. No entanto, diante da afirmação do presidente da CPI, ele disse que por enquanto não vai mais dar entrada pelo viés jurídico. Mas, ele garantiu que tem documentos oficiais a apresentar e muito a falar aos membros da comissão.

    Revelações a fazer 

    David Almeida disse que a CPI da Saúde é o lugar adequado para prestar os esclarecimentos sobre as acusações que foram comunicadas pela CPI da saúde, na semana passada, uma vez que os parlamentares que compõem a comissão estão analisando os fatos. Ele afirmou que se for convocado fará muitas revelações. “Teremos muitas revelações de como eu peguei o Estado, em que circunstâncias eu assumi o Governo do Amazonas [em 2017] e em que circunstâncias eu deixei. Se tivessem feito o que foi proposto pela minha equipe, hoje o Estado não estaria passando pelo que está passando na saúde”, salientou David.

    Desde quando a criação da CPI da Saúde foi aprovada no Poder Legislativo estadual, com abertura para investigações do atual governo e dos governos anteriores até o ano de 2011, David Almeida lembrou que colocou o seu nome à disposição para falar e apresentar documentos da época da sua gestão. “Eu tenho documentos oficiais que quero disponibilizar para a CPI da Saúde e para a sociedade, para que nós saibamos verdadeiramente quem são os culpados pelo caos que se encontra a saúde pública do Amazonas”, disse David Almeida.


    *Com informações da assessoria