Fonte: OpenWeather

    Com a palavra


    'Quero que me conheçam pelo meu trabalho', diz Caroline Braz

    A defensora pública acredita que o poder precisa ouvir a sociedade para solucionar os problemas de Manaus

    Presidente do diretório do PSC, Caroline Braz é a pré-candidata do partido a prefeita de Manaus | Foto: Lucas Silva

    Manaus –  Formada em Direito e especializada em Direito Processual Civil, Caroline da Silva Braz esteve à frente da Secretaria de Estado de Justiça, Direitos Humanos e Cidadania (Sejusc), desde 2019, onde articulou a vinda da Operação Acolhida e da Casa da Mulher Brasileira. Foi a responsável por aumentar o número das delegacias da mulher na capital e, pela primeira vez na história, levou para o interior a rede de proteção de mulheres, idosos, crianças e pessoas com deficiência.

    Advogada, Caroline Braz foi titular da Secretaria de Estado de Justiça, Direitos Humanos e Cidadania
    Advogada, Caroline Braz foi titular da Secretaria de Estado de Justiça, Direitos Humanos e Cidadania | Foto: Lucas Silva

    Caroline também foi uma das juízas mais jovens nomeadas em Roraima, onde instalou o Juizado da Violência Doméstica contra Mulheres. Atualmente a advogada é pré-candidata a prefeita de Manaus, pelo PSC, partido do governo do Estado do Amazonas, Wilson Lima. Ela afirma que a mudança da cidade precisa começar pela união do poder com a comunidade.

    "

    Eu nunca me imaginei dentro da política. Sou uma mulher da lei, que já esteve dentro da carreira jurídica e me vi executando políticas públicas quando assumi o cargo dentro do executivo, foi quando notei que é importante pessoas do bem exercer cargos públicos, pois é através deles que percebemos o quanto podemos transformar a vida das pessoas "

    Caroline Braz, advogada e pré-candidata a prefeita de Manaus, sobre a sua entrada na vida política

    EM TEMPO - A senhora já assumiu cargos de destaque no direito e também no poder executivo. Se encontrou dentro da política amazonense?

    Caroline Braz - Eu nunca me imaginei dentro da política. Sou uma mulher da lei, que já esteve dentro da carreira jurídica e me vi executando políticas públicas quando assumi o cargo dentro do executivo, foi quando notei que é importante pessoas do bem exercer cargos públicos, pois é através deles que percebemos o quanto podemos transformar a vida das pessoas. Acredito que não podemos pensar que a política está distante das nossas vidas, hoje eu percebo que ela está ligada com o lema do meu trabalho, pois ele só faria sentido se eu transformasse vidas. E, frente a política, a gente consegue se doar ainda mais para alcançar um maior número de pessoas.

    EM TEMPO - A senhora já esteve dentro das comunidades e mencionou que lá é onde precisa existir a justiça e um olhar diferenciado. Como solucionar a desigualdade social nas comunidades da capital?

    Caroline Braz - O primeiro passo é escutar as demandas da sociedade. Só assim as políticas poderão ser construídas de cima a baixo, pois elas precisam ser construídas em parceria com a comunidade, por meio de uma gestão comunitária. Com esses trabalhos podemos chegar no núcleo do problema para identificar a real necessidade dessas pessoas e solucionar o problema na sua base. Somente através dessa parceria comunitária os problemas sociais de Manaus terão fim.

    Caroline Braz assumiu a presidência do PSC, partido do governador Wilson Lima
    Caroline Braz assumiu a presidência do PSC, partido do governador Wilson Lima | Foto: Lucas Silva

    EM TEMPO - A senhora foi a primeira mulher a ocupar o cargo de presidente municipal do PSC. Como foi o processo para assumir essa posição sendo iniciante na política?

    Caroline Braz - Foi feito um processo interno, uma eleição onde é observado todo o regimento interno do partido, juntando com as diretorias para escolher a presidência do partido. A minha escolha foi muito importante para mim, pois eu vejo que cada vez mais as mulheres estão tendo coragem e se dispondo a participar da política. O desafio de ocupar a presidência do PSC não é só meu e sim de todas essas mulheres. É através dessa posição que eu estou buscando trazer mais mulheres para a política e mostrar que esse universo também pode ser um cenário de igualdade, onde homens e mulheres trabalham em sintonia.

    EM TEMPO - Desde o início da sua carreira a senhora sempre levantou discursos de apoio às mulheres e às classes menos favorecidas. Quais os planos para continuar contribuindo caso seja eleita prefeita de Manaus? 

    Caroline Braz - Acho interessante deixar bem claro que eu não quero iniciar novos trabalhos agora. Eu tenho 20 anos de trabalho para as pessoas. O que eu quero é dar continuidade a isso através das propostas que pretendo apresentar como pré-candidata à Prefeitura e principalmente trabalhando pelas pessoas mais carentes, cuidando da saúde básica de mulheres e idosos, a educação de crianças e fonte de empreendimento para todos, realizando políticas públicas que busquem proteger essa parcela da população, além de favorecer a nossa economia e a criação de empregos para essas pessoas. Acredito que atualmente Manaus precisa desses trabalhos e eu quero mostrar que uma mulher vai cuidar da cidade como se estivesse cuidando da sua família.

    "

    Eu sou uma mulher da lei e sei o que é permitido e proibido. Durante essas ações eu estava exercendo a minha função de secretaria através do decreto do governador. Então, tudo que eu fiz eu estava respaldada pela lei. Se eu não tivesse feito aí sim eu estaria descumprindo a legislação. O Ministério Publico reconheceu que a atividade fazia parte da minha função e arquivou o processo "

    Caroline Braz, advogada e pré-candidata, sobre o uso de ações de olho na eleição

    EM TEMPO - A senhora realizou ações sociais durante a pandemia e para alguns deputados estaduais as ações foram feitas visando sua campanha eleitoral. Como a senhora avalia essa situação?

    Caroline Braz - Eu sou uma mulher da lei e sei o que é permitido e proibido. Durante essas ações eu estava exercendo a minha função de secretaria através do decreto do governador. Então, tudo que eu fiz eu estava respaldada pela lei. Se eu não tivesse feito aí sim eu estaria descumprindo a legislação. O Ministério Publico reconheceu que a atividade fazia parte da minha função e arquivou o processo. Infelizmente essa situação foi uma tentativa política de manchar meu nome e minha imagem através de denúncias sem fundamento, apenas para dizer que eu fui denunciada, mas como eu sou uma mulher da justiça com a ficha limpa e o passado limpo eles não conseguiram sujar esse histórico, na verdade ficou ainda mais claro que eu trabalhei ajudando a sociedade durante esse momento crítico na capital. E os denunciantes o que fizeram para ajudar durante a pandemia?

    EM TEMPO - Recentemente, a senhora também foi acusada de utilizar a máquina pública para promover a carreira política e usar servidores da Sejusc para angariar votos ao seu favor. Como você analisa essa acusação?

    Caroline Braz - Eu não tenho como controlar o que os servidores falam e declaram, mas eu posso garantir que nunca houve nenhum tipo de ação em que eu usei esses servidores em busca de votos para a minha candidatura. Acredito que isso também faz parte do plano de querer me denegrir e resultou novamente no arquivamento do Ministério Púbico.

    EM TEMPO - Atualmente a gestão do governador Wilson Lima tem sofrido muitos ataques políticos. A senhora acredita que esse cenário pode atrapalhar a sua candidatura?

    Caroline Braz - Acredito que não. Dentro da minha pasta eu desenvolvi um ótimo trabalho e foi por meio dele que eu fui chamada para a pré-candidatura. Tenho 20 anos de trabalho e experiência reconhecida positivamente e a minha passagem pelo governo foi apenas uma fase desse trabalho dedicado às pessoas. Por isso, acredito que a população vai saber separar esse momento e entender que a Carol é uma mulher trabalhadora, guerreira, limpa e mostrou que arregaçou as mangas para trabalhar pelas pessoas. Afinal, quero ser reconhecida pelo trabalho.

    EM TEMPO - Em muitas pesquisas, a delegada Débora Mafra também aparece como pré-candidata. O que foi decidido pelo partido? A senhora já foi confirmada como a aposta majoritária do PSC ou há possibilidade de vir para vereadora?

    Caroline Braz - Eu não tenho como vir para vereadora, pois me desincompatibilizei dentro do prazo para disputar a prefeitura. Dentro do partido, a delegada Débora foi apresentada para disputar como vereadora e eu fui apresentada para a disputa como prefeita. Cada uma está desempenhando seus trabalhos dentro da sua particularidade. Somos duas mulheres fortes e determinadas e até o momento a confirmação feita pelo partido é a nossa apresentação.

    Calorine Braz diz que não pensa em uma possível vice-candidatura em outra chapa
    Calorine Braz diz que não pensa em uma possível vice-candidatura em outra chapa | Foto: Lucas Silva

    EM TEMPO - A senhora já está pensando em alianças para ser tornar vice de outros candidatos? Quem sabe uma união com nomes que estão mais à frente nas pesquisas?

    Caroline Braz - Por enquanto eu só tenho pensado em trazer apoiadores, planejar as minhas propostas e estudar a real necessidade da capital. Já analisamos possíveis composições, porém isso é um assunto a ser tratado mais para frente. O importante no momento é traçar um plano para construir uma Manaus melhor.

    EM TEMPO - Manaus nunca teve uma mulher prefeita. Para a senhora quais benefícios que população pode ter com uma mulher assumindo esse cargo?

    Caroline Braz - A mulher já controla as atividades em casa, toma as decisões na família e é responsável por tudo dentro do seu lar. Uma mulher assumindo a Prefeitura de Manaus será semelhante. Queremos mostrar que ela irá promover o controle, ter o pulso firme e a manter a ordem, através da determinação feminina.

    Leia Mais: 

    'As pessoas ainda não nos conhecem, mas vão conhecer', diz Romero Reis

    'Serei bem franco: eu não me alio aos corruptos', diz Alfredo Menezes

    'Tenho conhecimento para contribuir com Manaus', diz Hissa Abrahão