assaltos e latrocínios


Comissão de Transporte solicita proteção à motoristas de aplicativos

Presidente da comissão, deputado Roberto Cidade, encaminhou indicação ao titular da SSP-AM, Louismar Bonates

Cidade informou que há uma média de até 4 assaltos por semana contra os motoristas
Cidade informou que há uma média de até 4 assaltos por semana contra os motoristas | Foto: Divulgação

Manaus - O deputado Roberto Cidade (PV), presidente da Comissão de Transporte e Trânsito, da Assembleia Legislativa do Estado do Amazonas (Aleam), apresentou nesta quarta-feira, 9, indicação ao Governo do Estado solicitando medidas emergenciais para combater assaltos e latrocínios sofridos por motoristas de aplicativos em Manaus.

O documento foi direcionado ao titular da Secretaria de Estado da Segurança Pública do Amazonas (SSP-AM), coronel PM Louismar Bonates e ao comandante-geral da Polícia Militar do Amazonas (PM-AM), coronel PM Ayrton Ferreira Norte.

De acordo com o parlamentar, os aplicativos de transporte de passageiros têm se mostrado uma alternativa aos passageiros, devido a precariedade do transporte coletivo, bem como o preço acessível do serviço.

“O grande número de aplicativos disponíveis e os preços acessíveis têm feito com que o número de motoristas e usuários cresça de forma exponencial todos os anos no Brasil. No entanto, o número de assaltos e latrocínios sofridos por motoristas de aplicativos tem aumentado vertiginosamente. Na capital do Estado do Amazonas, a média é de 3 a 4 assaltos por semana, conforme dados oficiais”, justificou.

Roberto Cidade destaca os números publicados pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), em dezembro de 2019, os quais demonstram que o Brasil já tem 1.125.092 motoristas cadastrados nos aplicativos de transporte de passageiros. Número expressivo que apresenta salto de 228,64% em relação a 2012, quando a Uber chegou ao Brasil.

De acordo com o parlamentar, o “modus operandi” dos criminosos tem mudado frente a presença constante da Secretaria de Estado de Segurança Pública nas ruas, com operações de abordagens a coletivos e carros de passeio.

Ele cita, por exemplo, a Operação Catraca, que até abril de 2019 já havia abordado 78.148 pessoas e 2 mil ônibus, resultando na diminuição de 29,1% em ocorrências registradas no transporte coletivo da Capital Amazonense.

“Queremos também incluir os carros utilizados por motoristas de aplicativos entre as prioridades da Operação Catraca ou que uma Operação específica seja deflagrada para enfrentamento do problema. Isso fará com que vidas sejam salvas e o número de assaltos e latrocínios sofram importante diminuição”, pontuou.

Carros Identificados

Ainda voltado aos motoristas de aplicativos de passageiros, Roberto Cidade, também encaminhou indicação ao Prefeito de Manaus, Arthur Neto e ao diretor-presidente do Instituto Municipal de Mobilidade Urbana (IMMU), Francisco Saldanha Bezerra, para a possibilidade de distribuição de adesivo de identificação aos carros utilizados por aplicativos de transporte de passageiros na Cidade de Manaus.

De acordo com o pedido, a falta de padronização destes veículos utilizados para transporte de passageiros é um fator determinante para que criminosos possam agir e empreender fuga sem a possibilidade de ação repressiva por parte dos órgãos de segurança.

“Temos visto todas as semanas, casos em que motoristas de aplicativo têm sido sequestrados e mortos por criminosos que se passam por passageiros. Esta padronização possibilitará que os órgãos de segurança possam atuar de maneira mais precisa na prevenção e repressão aos crimes de assalto e latrocínio aos motoristas”, destacou.


*Com informações da assessoria