Apoio


Deputado quer divulgar 'desaparecidos' em shoppings do Amazonas

O projeto busca o apoio de empresas privadas para custear as ações e localizar os desaparecidos

 

Em 2019, foram registrados 989 desaparecimentos em Manaus
Em 2019, foram registrados 989 desaparecimentos em Manaus | Foto: Divulgação

Manaus - Com o objetivo de implementar uma medida prática e efetiva na busca de pessoas desaparecidas no Amazonas, o deputado Roberto Cidade (PV) protocolou nesta quinta-feira, 8, um Projeto de Lei (PL), que dispõe sobre convênios com empresas privadas detentoras de locais de grande circulação, para divulgação de imagens de desaparecidos aqui no estado.

De acordo com o projeto, as empresas privadas são shoppings centers e casas de show. Segundo Roberto Cidade, nesses lugares há grande circulação de pessoas, o que facilitará na divulgação dos desaparecidos e consequentemente ajudará para encontrar a pessoa desaparecida.

"A medida apresentada é útil e eficaz, haja vista que centenas de pessoas tem acesso a casas de show e shopping, aumentando o potencial de divulgação de suas informações”, justificou.

Dados dos Sistema Integrado de Segurança Pública (SISP) apontam que em 2019 foram registrados 989 desaparecimentos em Manaus, um crescimento de 21,9% em comparação ao ano de 2018 (772 pessoas desaparecidas). Por outro lado, o índice de pessoas encontradas reduziu de 10,3% (80) em 2018, para apenas 4,66% (46) no ano de 2019. 

“As informações estarão em anúncios e apelo aos presentes nos telões dos eventos organizados, praças de alimentação e corredores principais, reunindo esforços da sociedade na busca por pessoas desaparecidas”, ressaltou Cidade.

Ainda conforme o PL, serão exibidos nos telões a foto, o nome, as características físicas, local e data de desaparecimento. No entanto, as informações serão preenchidas em formulários disponibilizados pela Delegacia Especializada de Ordem Política e Social (DEOPS), da Polícia Civil, mediante autorização da família da pessoa desaparecida.

O texto do PL indica que despesas correrão por dotações orçamentárias próprias, consignadas no orçamento, suplementadas, se necessário. Em caso de aprovada, o Poder Executivo regulamentará a Lei, visando estabelecer normas necessárias ao seu efetivo cumprimento.

*Com informações da assessoria 

Leia Mais:

PL que proíbe o uso de penas de aves em produtos é aprovado na Aleam

Projeto proíbe reajuste de mensalidade de escolas e faculdade em 2021