Cassação


MPE pede cassação da candidatura do prefeito de Humaitá

O pedido é contra a prática de uso indevido dos meios de comunicação social e abuso de poder político e econômico

A ação do MPE está tramitando na Justiça Eleitoral | Foto: Divulgação

Manaus - Neste sábado (10), foi proposto o pedido de tutela de urgência contra o candidato à reeleição para prefeito Herivaneo Vieira de Oliveira, em Humaitá (a 591 quilômetros de Manaus). A ação também inclui Francisco Chagas de Souza, Geraldo Caetano – candidato a vereador - e Manoel Oliveira Menezes.

Por meio da Promotoria Eleitoral da 17ª Zona Eleitoral do Estado do Amazonas, instalada no município de Humaitá, o caso faz parte do Procedimento Preparatório Eleitoral com o objetivo de apurar a prática de ilícito eleitoral, com abuso de poder político, abuso de poder econômico por parte dos reús e por uso indevido dos meios de comunicação.

O Ministério Público eleitoral pede a cassação do registro de candidatura ou do diploma dos réus Herivaneo Vieira de Oliveira e Geraldo Caetano Simpson Santiago. Além da declaração de inelegibilidade decorrente dos abusos de poder econômico e abuso de poder político.

Entre as práticas acusadas pelo MPE aos réus, estão os crimes:

a)  uso indevido de um perfil na Rede Social Instagram, pertencente ao órgão público Prefeitura Municipal de Humaitá- @prefeituradehumaita, para a promoção pessoal e enaltecimento, em ano eleitoral, do réu Herivaneo Vieira de Oliveira, candidato à reeleição ao cargo de prefeito do Município de Humaitá;

b)  uso indevido de um blog, "A Crítica de Humaitá, pertencente ao réu Francisco das Chagas de Souza, para a promoção pessoal e enaltecimento, em ano eleitora, do réu Herivaneo Vieira de Oliveira, candidato à reeleição ao cargo de prefeito do Município de Humaitá;

c) uso indevido do aplicativo WhatsApp para o envio de mensagens instantâneas para a promoção pessoal e enaltecimento, em ano eleitoral, do réu Herivaneo Vieira de Oliveira, candidato à reeleição ao cargo de prefeito do Município de Humaitá, e do candidato Geraldo Caetano Simpson Santiago, candidato ao cargo de vereador;

d) a execução de serviços de edição de imagens e vídeos para uso nas notícias e publicações do blog "A Crítica de Humaitá", por um servidor público, o réu Manoel José de Oliveira Menezes, durante o horário de expediente público e no qual deveria executar suas atribuições públicas, durante o ano eleitoral;

e) a divulgação de mensagens no aplicativo WhatsApp pelo réu Geraldo Caetano Simpson Santiago, servidor público, com a promoção pessoal própria e do réu Herivaneo Vieira de Oliveira, durante o ano eleitoral.

A ação do MPE está tramitando na Justiça Eleitoral sob o número 0600238-98.2020.6.04.0017.


Leia Mais: 

866 novos casos de Covid-19 são detectados no AM nesta sexta-feira (9)

Amazonas registra recebimento de 'sementes misteriosas' da Ásia

BR -319: reconstrução trará desenvolvimento econômico e social ao AM