Impugnação


MP nega pedido de candidatura do Chico Preto

O candidato chegou a recorrer a decisão, mas o órgão manteve a suspensão da candidatura e a aplicação de multa de R$ 25 mil

Em 2014, Chico Preto concorreu ao pleito como candidato a prefeito, e segundo o MPE como não foi eleito não pode ser cassado na época
Em 2014, Chico Preto concorreu ao pleito como candidato a prefeito, e segundo o MPE como não foi eleito não pode ser cassado na época | Foto: Divulgação

Manaus – A candidatura de Chico Preto (DC) sofreu mais um desgaste nesta semana após o Ministério Público Eleitoral (MPE) não aceitar posicionamento e manteve a decisão de impugnação do seu nome para o pleito municipal deste ano.

Com a proposta de aproximar a Prefeitura dos bairros e das comunidades, Chico Preto oficializou sua candidatura à Prefeitura de Manaus no dia 1° de setembro ao lado do o tenente-coronel Augusto Cézar, vice-prefeito da chapa.

Um mês depois, por intermédio do Promotor Eleitoral Francisco Lázaro de Morais Campos, da 1ª Zona Eleitoral, o MPE propôs uma ação de impugnação do registro de candidatura de Chico Preto, junto ao Juízo Eleitoral Presidente do Pleito na cidade de Manaus.

Na decisão o órgão sustentou, que o candidato se encontra inelegível tendo em vista que foi condenado por conduta vedada nos autos do Processo TRE/AM nº 2237- 2.2014.6.04.0000, em decisão colegiada publicada em 11/07/2017.

Em 2014, Chico Preto concorreu ao pleito como candidato a prefeito, e segundo o MPE como não foi eleito não pode ser cassado na época.  

A defesa de Chico Preto alegou que o caso não se ajustava à hipótese de inelegibilidade, garantindo que o candidato está habilitado a concorrer ao pleito deste.

“Diante de decisão absolutamente injusta o candidato a prefeito de Manaus, Chico Preto, recebe com indignação a notícia da impugnação de sua candidatura pelo MPE, usando como base uma questão judicial resolvida em 2017”, declarou a defesa.

No entanto, o órgão manteve a decisão de suspender a candidatura do postulante e a aplicação de multa de R$ 25 mil. 

Procurado pela equipe de reportagem, Chico Preto alegou que a decisão do MPE já era esperada e o que importa, no momento é o julgamento do Tribunal Regional Eleitoral (TRE) sobre o pedido do órgão. O candidato reafirmou que está apto a seguir na disputa pela sucessão do prefeito Arthur Virgílio Neto. 

Leia Mais:

MP Eleitoral pede impugnação de candidatura de Chico Preto

DC lança Chico Preto como candidato a prefeito de Manaus

Candidatos com apoio de igrejas podem ter vantagem no pleito 2020