Cautela


'As eleições não podem ser transformadas em guerra', diz Serafim

O deputado pediu seriedade e equilíbrio dos eleitores durante o período eleitoral

Serafim considera que o clima de agressividade e radicalismo prejudica a retomada da economia após a pandemia
Serafim considera que o clima de agressividade e radicalismo prejudica a retomada da economia após a pandemia | Foto: Divulgação

Manaus - Ao analisar o cenário atual das eleições municipais no Amazonas, o deputado Serafim Corrêa (PSB) declarou, nesta terça-feira (10), que o pleito não pode ser cenário de guerra.

“Quero fazer uma moção de serenidade, de equilíbrio. Não podemos fazer das eleições um cabo de guerra que nos leve a confrontos. Devemos respeitar a opinião dos outros. Não há necessidade de agressividade. Vejo com muita cautela o ano de 2021. Será um ano difícil para todos. Estaremos dando um passo à frente para vencer essa tormenta, descoberta das vacinas que possam devolver ao povo a tranquilidade da saúde”, comentou o deputado.

O líder do PSB na Assembleia Legislativa do Estado Amazonas (Aleam) disse ainda que o clima de agressividade e radicalismo prejudica a retomada da economia após a pandemia.

“Um clima como esse não é clima da retomada da economia. Vai ser difícil retomar o que foi janeiro e fevereiro deste ano. É preciso de serenidade e equilíbrio. Nada de extremismo, radicalização e agressividade. Não podia ficar calado e não manifestar aquilo que eu penso. Reitero meus votos de paz, entendimento e conciliação”, finalizou.

Na semana passada, o parlamentar foi atacado nas redes sociais após comentar sobre a eleição do novo presidente dos Estado Unidos, Joe Biden. Para o deputado, Biden teve um perfil sereno e conciliador durante o período de votação dos americanos.

Serafim considerou ainda que o presidente eleito, teve uma postura "muito parecido com o perfil de Tancredo Neves na redemocratização". 

*Com informações da assessoria 

Leia mais:

'TSE precisa rever regras do processo eleitoral', diz Serafim

Deputado Serafim pede que governo do AM ajude empresas em dificuldades

Arrecadação no AM cresce R$ 1.945 bilhão até setembro, diz Serafim