Eleições 2020


Policiais são afastados de fiscalização eleitoral em Barcelos

Na decisão, a juíza citou suposta parcialidade dos policiais ao apoiar um dos candidato que concorre ao cargo de prefeito do município

Os policiais devem ficar afastados até o primeiro turno das eleições
Os policiais devem ficar afastados até o primeiro turno das eleições | Foto: Divulgação

Amazonas - Os policiais militares André Almeida, Carlos Maikon Gonçalves e Jairo Tavares foram afastados das atividades de fiscalizações do pleito municipal do município de Barcelos (a 399 quilômetros de Manaus) até domingo (15), primeiro turno das eleições. A decisão da juíza Tamiris Gualberto Figueirêdo, foi responsável por afastar os policiais. 

Na decisão, a magistrada citou suposta parcialidade dos policiais ao apoiar candidato que concorre ao cargo de prefeito de Barcelos.

A magistrada intimou o comandante geral da Polícia Militar de Barcelos, Rozinaldo Raposo Laranjeiras a adequar a escala dos três policiais para que permaneçam nas “atividades de preservação da ordem pública e prevenção de atos ilícitos em absoluto alheios às questões eleitorais” e fixou pena de multa pessoal no valor de três salários mínimos, que corresponde a R$ 3.135.

A decisão, assinada na segunda-feira (9), considerou o pedido do atual prefeito de Barcelos, Edson Mendes (MDB), que é candidato a reeleição pela Coligação “O Progresso Continua”. O candidato alegou que no último sábado (7), os policiais o conduziram coercitivamente à delegacia do município sob alegação de que haviam encontrado R$ 2,2 mil no carro dele.

Nas redes sociais, o candidato afirmou que realizava caminhada pelo bairro Nazaré, pedindo votos e convidando eleitores para reunião que seria realizada a noite, quando o carro dele foi abordado pelos policiais

Segundo Mendes, o dinheiro encontrado no veículo seria usado para “pagamentos de compromissos”.

Ao alegar parcialidade dos policiais, Mendes citou que os servidores fazem publicações nas redes sociais a favor dos candidatos Radinho (PSC) e Professor Jander Loiola (PTB), que compõem a Coligação Para Cuidar da Nossa Gente e Nossa Terra. Para Mendes, “a gravidade das condutas causa efeitos de grande monta perante o eleitorado” do município.

Na decisão, a magistrada afirmou que pelas imagens apresentadas pelo candidato do MDB em que os policiais se manifestam nas redes sociais é possível ver parcialidade “no sentido de apoiar candidato que concorre especificamente a um cargo majoritário nas eleições de 2020”..

Mendes solicitou o afastamento dos policiais de todas as atividades até o dia 15 de novembro, mas a juíza negou o pedido sob argumento de que a medida poderia “suprimir dos cidadãos o direito à segurança”. Ela citou que o município tem população estimada em 27 mil habitantes e um efetivo da Polícia Militar limitado a 12 policiais e um comandante.

Figueirêdo intimou os policiais e os candidatos a prefeito e vice da Coligação Pra Cuidar da Nossa Gente e Nossa Terra a apresentar defesa no prazo de cinco dias.

Leia mais: 

Eleições 2020: Eleitor pode treinar o voto pela Internet

Saiba como usar o e-Título, o título de eleitor digital

Veja os horários, regras e cuidados para a votação deste domingo (15)