Eleições 2020


Com dificuldades na cabine, Amazonino Mendes vota na Sefaz

O candidato precisou de apoio de assessores e mesários para concluir a votação neste domingo (15)

No primeiro momento, o prefeiturável se demonstrou confiante sobre o resultado da disputa eleitoral
No primeiro momento, o prefeiturável se demonstrou confiante sobre o resultado da disputa eleitoral | Foto: Aguilar Abecassis

Manaus - Duas horas antes do horário previsto, o candidato Amazonino Mendes (Podemos) chegou para votar às 9h, deste domingo (15), na sede da Secretaria do Estado da Fazenda do Estado do Amazonas (Sefaz-AM), localizada na avenida André Araújo, bairro Aleixo, Zona Centro-Sul de Manaus. 

Amazonino, que completa 81 anos nesta segunda-feira (16), estava acompanhado de assessores e de seu candidato a vice, Wilker Barreto (Podemos). No primeiro momento, o prefeiturável se demonstrou confiante sobre o resultado da disputa eleitoral. 

“Eu espero, ao invés de ganhar presente, dar presentes ao povo. O que me interessa na minha vida hoje é servir. Eu acho que nós estaremos tranquilamente no segundo turno”, disse o candidato antes de seguir para sua seção eleitoral.

Já na cabine de votação, Amazonino Mendes, devido à idade, teve que pedir ajudar de um dos assessores na hora de escolher um candidato a vereador. O “Negão” levou cerca de três minutos para concluir o voto. 

Amazonino precisou de apoio para apertar o botão de confirmar o voto
Amazonino precisou de apoio para apertar o botão de confirmar o voto | Foto: Divulgação

Demonstrando também falta de memória, o candidato teve que ser orientado por uma mesária, que informou ao candidato que ele deveria apertar no “botão verde” para confirmar o voto. 

Na saída, Amazonino se justificou. “Achei que teria uma relação com os nomes dos candidatos a vereador na urna. Mas foi tranquilo”, disse. 

Leia mais: 

Amazonino Mendes perde programa eleitoral por propaganda irregular

Rejeição eleitoral, um fantasma na campanha de Amazonino em Manaus

Especialista aponta que Amazonino pode não ir para segundo turno