ELEIÇÕES 2020


Barroso pede aos eleitores que votem de forma consciente

O pronunciamento do presidente do TSE foi ao ar no sábado, véspera das eleições. Ele apela aos cidadãos que

O presidente do TSE, Luís Roberto Barroso, durante pronunciamento na TV
O presidente do TSE, Luís Roberto Barroso, durante pronunciamento na TV | Foto: Reprodução/TSE

Manaus - O presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), Luís Roberto Barroso, pediu aos eleitores neste sábado (14) que participem do primeiro turno das eleições municipais neste domingo (15) de forma consciente, selecionando com cuidado seus candidatos. O apelo foi feito durante pronunciamento em cadeia nacional de rádio e TV.

De acordo com a Corte Eleitoral, mais de 147 milhões de pessoas estão aptas a ir às urnas neste domingo para escolher os próximos prefeitos, vice-prefeitos e vereadores em 5.567 municípios. Durante o pedido, o ministro lembrou como era "triste e feio" o período em que a sociedade não exercia o direito ao voto.

"Não deixe de votar. Era triste e feio o tempo em que não tínhamos esse direito. A sua cidade e o Brasil terão a cara de quem comparecer às urnas. Para exigir, é preciso participar", afirmou o magistrado.

Uso de máscara

Segundo o ministro, a Justiça Eleitoral tomou "as medidas necessárias para garantir a saúde" das pessoas que participarão da votação, lembrando da obrigatoriedade do uso de máscara para acesso às seções eleitorais, além de fazer outras recomendações para se proteger do coronavírus durante o processo eleitoral.

"Use máscara. É obrigatório. E ela protege você e os outros. Se possível, leve sua própria caneta. E mantenha distância de ao menos um metro das outras pessoas", declarou.

E-título

A utilização do e-título nas eleições 2020 é uma alternativa para que os cidadãos não se exponham ao vírus enquanto vão às urnas nesse domingo (15). Porém, muitos usuários reclamam da indisponibilidade do aplicativo desde quinta-feira (12). O presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), ministro Luís Alberto Barroso, atribui essa instabilidade aos downloads de última hora:

"O brasileiro deixou para baixar o aplicativo hoje, então foram milhões de acessos ao mesmo tempo. Pedimos que todos fizessem o download antes, mas peço que insistam", afirmou, em visita ao projeto Eleições do Futuro, em Valparaíso (GO).

No projeto, empresas de tecnologia desenvolvem inovações para o sistema eleitoral brasileiro que, segundo o ministro, já poderão ser aplicadas em 2022. Com algumas das ideias, o cidadão poderá utilizar o próprio celular para o voto, mas terá que comparecer ao colégio eleitoral. Exemplos das alternativas são o reconhecimento facial e uma plataforma para voto online,  porém ainda não é uma alternativa segura, pois "Ainda não há tecnologia que permita assegurar que o cidadão não está sendo coagido, com o patrão ou o coronel atrás, então provavelmente ele terá que ir presencialmente votar", explicou.