Baixa Popularidade


Carlos Bolsonaro é reeleito, mas perde lugar de vereador mais votado

A votação de Carlos teve uma queda de 34%, se comparado ao último pleito municipal

| Foto: Divulgação

Brasil - Com o apoio do presidente Jair Bolsonaro como um dos maiores cabos eleitorais das eleições municipais deste ano, Carlos Bolsonaro (Republicanos) conquistou a reeleição para o cargo de vereador. No entanto, o filho do presidente perdeu a popularidade nas urnas e acabou sendo o segundo vereador mais votado da cidade do Rio de Janeiro. 

Comparado ao último pleito municipal, a votação de Carlos teve uma queda de 34%. Em 2016, conquistou 106.657 votos e se tornou o vereador mais votado da disputa. Desta vez, o parlamentar teve apenas 71 mil (2,69% dos votos válidos). 

Desta vez, Carlos foi superado por Tarcísio Motta (PSOL), que somou 86.243 votos. Depois de 20 anos, Carlos Bolsonaro voltou a enfrentar a mãe, Rogéria Bolsonaro nas urnas. Mas, apesar do apoio dos filhos, Rogéria obteve apenas 2.034 votos e não se elegeu.

Aos 37 anos, o parlamentar dá início ao seu sexto mandato. Sendo eleito pela primeira vez em 2000, quando tinha apenas 17 anos. Na ocasião, foi lançado por Jair para boicotar a candidatura de sua mãe.

Na época, a investida de Jair deu certo. Carlos teve mais de 16 mil votos, enquanto sua mãe ficou, novamente, fora da disputa.

Carlos Bolsonaro é  investigado pelo Ministério Público do Rio de Janeiro (MP-RJ) por suposto esquema de rachadinha, recebimento ilegal de parte dos salários dos funcionários, e manutenção de funcionários fantasmas. Os crimes teriam ocorrido no gabinete do vereador na Câmara Municipal. 

Leia mais: 

Sem indícios de fraude, Bolsonaro volta a questionar urnas eletrônicas

Eduardo Bolsonaro volta a defender voto impresso

Bolsonaro apaga post em que mostrava apoio para candidatos