Com a palavra


'As pessoas vão se surpreender com meu trabalho', diz Amom Mandel

Com pautas voltadas, principalmente, à modernização dos sistemas municipais, o vereador eleito destacou, em entrevista, as principais propostas que irá pôr em prática na CMM

Amom conseguiu destaque em sua campanha, principalmente, por se mostrar porta-voz da juventude
Amom conseguiu destaque em sua campanha, principalmente, por se mostrar porta-voz da juventude | Foto: Divulgação

Manaus - Vereador mais novo eleito em Manaus neste pleito com mais de 7,5 mil votos, Amom Mandel (Podemos), 19, é estudante de Direito na Universidade Federal do Amazonas (Ufam) e, apesar de jovem, destaca, em sua carreira, os trabalhos voluntários que exerce há seis anos na Organização das Nações Unidas (ONU) e como editor do Wikipédia. Além disso, Amon também é um microempresário, com duas empresas de segmentos diferentes.

Amante da tecnologia, o vereador eleito afirmou em entrevista exclusiva à Rede Em Tempo de Comunicação, que pretende propor a implementação da tecnologia em diversos sistemas municipais, como na Saúde, para auxiliar em melhorias na área. 

Outra bandeira que carregou durante a campanha foi a de empreendedorismo e primeiro emprego. Mesmo com uma atuação limitada, o jovem disse que pretende propor a desburocratização desses sistemas, permitindo o desenvolvimento dos empreendedores, com custos menores. Além disso, Amom destacou que o investimento em tecnologia pode gerar empregos, especialmente para os que irão ingressar no mercado.

EM TEMPO: Sem nenhuma experiência na política partidária, o que levou o senhor a se candidatar?

Amom: Costumo dizer que fazer política não é só se candidatar e ser filiado a algum partido. É transformar o meio a sua volta. Faço trabalho voluntário há algum tempo e conheço muitas pessoas envolvidas em centenas de projetos sociais que tem algo a contribuir. Entrando para a política partidária, pretendo unir a experiência do que eu chamo de “boa política” (a política social) à política partidária. Por isso, estamos filiando centenas de pessoas ligadas a movimentos sociais ao partido e estimulo que todos se envolvam, seja participando da campanha de alguém ou se candidatando. Quero mostrar a importância que a política tem na vida de todos, o voto é uma arma, temos que usá-lo para sermos os senhores dos nossos destinos. Quando você não escolhe o seu representante ou governante, outros fazem a escolha por você.

EM TEMPO: O senhor ganhou uma grande visibilidade depois de eleito. Como avalia o resultado das urnas?

Amom: O resultado das urnas é a consequência de um trabalho feito ao longo do tempo com visitas a comunidades, conversas, reuniões e a interação em centenas de grupos virtuais. Era previsível que essa visibilidade toda chegasse após as urnas, até por causa da minha idade e pelo fato de poucos imaginarem que era realmente possível que isso acontecesse. Com essa visibilidade, no entanto, chegam também os ataques. A essas pessoas, vou responder com o trabalho na Câmara a partir de 1º de janeiro. Desde já, no entanto, começamos a cumprir um dos compromissos assumidos, o de plantar uma árvore para cada voto de confiança depositado em mim nas urnas. Como é algo que não depende de um mandato, já começamos a cumprir.

"

Pretendo unir a experiência do que eu chamo de “boa política” (a política social) à política partidária "

Amom Mandel, vereador,, sobre a motivação de sua candidatura

EM TEMPO: Na sua opinião, quais são os grandes problemas de Manaus que precisam de uma solução imediata?

Amom: Os problemas de Manaus, de forma geral, não são muito diferentes dos problemas encontrados na maior parte das cidades do planeta. Tudo é urgente: meio ambiente, transporte, saúde, educação, emprego. Não tenho a capacidade de, sozinho, resolver todos esses problemas, por isso é importante que elejamos quem está compromissado com as pautas levantadas. Da minha parte, o foco fica na saúde e educação básicas, bem como a modernização da cidade. Precisamos de um choque de modernidade. A tecnologia é um dos meios mais eficientes para resolver problemas enfrentados há décadas.

EM TEMPO: O senhor destacou, durante campanha, propostas para a implantação de tecnologia em diversos segmentos no município. É esse o ponto em que pretende ser mais incisivo na CMM?

Amom: Com toda a certeza. As principais plataformas carregadas na campanha foram a da tecnologia (legislarei em prol dessa temática) e atuarei como um porta-voz perante o futuro prefeito, alguém responsável por apresentar determinados problemas e soluções, cobrar o trabalho e influenciar nas decisões.

EM TEMPO: Quais serão as suas primeiras propostas a serem postas em prática na CMM, de imediato?

Amom: Muito provavelmente a futura “lei municipal de incentivo ao uso das quadras e do espaço público”, mas isso vai depender da articulação política e avanço no desenvolvimento do projeto. Atualmente, ele é o que está em um estágio mais avançado de elaboração. É uma proposta para a área dos esportes que traz benefícios nas áreas da saúde, educação e bem estar social.

"

Em determinadas situações, é melhor privatizar; em outras, não "

Amom Mendel, vereador, sobre privatização de sistemas

EM TEMPO: Depois de eleito, o senhor recebeu algumas críticas em relação ao seu parentesco com pessoas de cargo de poder. Como o senhor reage a isso?

Amom: Eu disse e repito: o meu parentesco não me traz votos. O que traz é o trabalho nas ruas. Trabalhei por volta de 15 horas por dia na campanha e visitei todas as zonas de Manaus. A maior parte dos locais visitados pode ser checada nas fotos publicadas no Instagram e no Facebook, mas visitamos bem mais locais do que os postados. Para as pessoas que me criticam dessa forma, como disse, vou responder com o trabalho na Câmara. As pessoas vão se surpreender com meu o trabalho.

EM TEMPO: O que o senhor acredita que precisa ser feito para que pautas voltadas ao empreendedorismo e o primeiro emprego possam alavancar? Especialmente diante dos problemas econômicos causados pela pandemia?

Amom: A priori, a atuação de um vereador para com essas pautas é bem limitada, principalmente a questão do emprego. No que depender de mim, farei a propositura de leis que reduzam a burocracia no âmbito municipal e reduza os custos para os empreendedores. Quanto ao primeiro emprego, pretendo atuar, com o devido diálogo e articulação política, em conjunto com as diversas esferas do poder para criar um ambiente propício para a criação e vinda de empresas de tecnologia para Manaus e para o Amazonas. As empresas de tecnologia são, mundialmente, as que mais contratam jovens, daí a importância desse trabalho para o segmento de pessoas que enfrenta problemas relacionados à conquista do primeiro emprego.

Apesar de ter conquistado mais de 7,5 mil votos, hoje, Amom deseja apenas fazer um bom mandato
Apesar de ter conquistado mais de 7,5 mil votos, hoje, Amom deseja apenas fazer um bom mandato | Foto: Divulgação

EM TEMPO: Algumas de suas propostas (para a educação, por exemplo), de acordo com seu site, envolvem a privatização. O senhor acredita que esse é o melhor caminho, considerando que temos exemplos não muito bons da privatização de serviços? 

Amom: Não carreguei nenhuma proposta em âmbito municipal relacionada à privatização. Todas as propostas para o mandato foram postadas no Instagram e no Facebook. O que tenho no meu site é um apanhado de pensamentos generalizados que podem ajudar as pessoas a entenderem como penso. De forma geral, acredito que a privatização de determinados serviços é uma medida geralmente mais eficiente, mas isso não é uma regra absoluta. Em determinadas situações, é melhor privatizar; em outras, não. Tem que ser analisado caso a caso. Temos exemplos bons e exemplos ruins de serviços privatizados.

EM TEMPO: O senhor almeja cargos mais altos? Talvez atuar como prefeito?

Amom: Nesse momento, penso apenas em fazer um bom mandato. Estou no processo de formar uma equipe de gabinete de excelência, escolhendo as pessoas mediante critérios técnicos.

Leia Mais:

'É importante que o eleitor seja criterioso', diz Helso Ribeiro

'A mulher é a grande vítima da corrupção eleitoral', diz Beth Azize

'Sou a prova de que oportunidades mudam vidas', diz Marcelo Amil