Fonte: OpenWeather

    Eleições São Paulo


    Boulos cresce e diminui diferença para Covas, aponta Datafolha

    Segundo o estudo, Boulos passou de 42% para 45% dos votos válidos, entre a pesquisa feita na semana passada

    A margem de erro da pesquisa é de três pontos percentuais para mais ou para menos
    A margem de erro da pesquisa é de três pontos percentuais para mais ou para menos | Foto: Divulgação

    Brasil - A uma semana do segundo turno em São Paulo, o candidato Guilherme Boulos (Psol), reduziu a distância do primeiro colocado, o prefeito Bruno Covas (PSDB). A vantagem de Covas para Boulos caiu para apenas 10 pontos, segundo a Pesquisa Datafolha divulgada nesta terça-feira (24). 

    Segundo o estudo, Boulos passou de 42% para 45% dos votos válidos, entre a pesquisa feita na semana passada (dias 17 e 18) e o último levantamento. Já Covas, o líder do primeiro turno, oscilou negativamente de 58% para 55%.

    A margem de erro da pesquisa é de três pontos percentuais para mais ou para menos. O instituto ouviu 1.260 pessoas.

    Encomendado pela Folha, o levantamento foi registrado no Tribunal Regional Eleitoral com o número SP-0985/2020.

    Para entender o movimento de Boulos, é importante olhar para os votos totais, que incluem também aqueles que não sabem dizer em quem votar, além dos brancos e nulos.

    Por esse critério, Covas não se mexeu da rodada anterior para cá, mantendo-se com 48%. Já o psolista subiu cinco pontos, indo de 35% para 40%, atraindo para si eleitores que iam votar em branco ou anular (que caíram de 13% para 9%) e indecisos (que oscilaram de 4% para 3%).

    Sem um fato de relevo que possa explicar a mudança, ela pode ser atribuída à eficácia da propaganda do PSOL, dado que no segundo turno ambos os candidatos têm o mesmo tempo de rádio e TV. 

    No primeiro turno, por cortesia de sua ampla coligação de 11 partidos, o prefeito tucano tinha 3min29s por bloco de horário na TV, além de 25 inserções diárias. Boulos contava com 17s em cada um dos dois blocos e 2 inserções. Agora, ambos têm 5 minutos duas vezes ao dia e 25 inserções cada.

    O principal grupo em que o candidato do PSOL avançou foi o dos mais jovens.

    Na semana passada, Boulos derrotava Covas entre eleitores de 16 a 24 anos por 59% a 35% dos votos válidos. Agora, vence por 65% a 35%.

    O grupo representa 12% da amostra do eleitorado do Datafolha.

    Na faixa seguinte (25 a 34 anos), que corresponde a 20% dos ouvidos, houve oscilação no limite da margem: o psolista passou de 53% para 56%, enquanto o tucano foi de 47% para 44%.

    No eleitorado intermediário em termos etários há um empate técnico: Covas tem 53% e Boulos, 47%. Esse grupo, que compreende quem tem de 35 a 44 anos, equivale a 21% das pessoas entrevistadas.

    O tucano vê sua vantagem aumentar bastante, o que lhe garante a liderança, nas faixas mais velhas da população.

    No volumoso grupo (25% da amostra) de quem tem de 45 a 59 anos, ele lidera por 58% a 42%, mesmo nível da semana passada. Já entre quem tem mais de 60 anos, 22% dos entrevistados, ele manteve a folgada liderança de 73% a 27%.

    No primeiro turno, houve uma alta abstenção na capital paulista (29,3%), que foi creditada pelos eleitores ouvidos na semana passada pelo Datafolha principalmente a questões de saúde. Seja como for, esse eleitorado mais velho faz parte do grupo de risco da doença, e pode ser mais suscetível à ideia de ficar em casa domingo (29).

    Covas segue com relativa vantagem nos grandes grupos socioeconômicos, liderando entre os menos escolarizados (67% ante 33% dos votos válidos), os mais ricos (56% a 44% na faixa de quem ganha mais de 10 salários mínimos e 62% a 38% entre os que ganham entre 5 e 10 mínimos).

    Os candidatos empatam tecnicamente quando são questionados aqueles com curso superior (52% votam em Boulos e 48%, em Covas).

    Leia mais:

    Mulher de Porchat aparece nua em live do marido com Guilherme Boulos

    Boulos vota em SP e pede que urna não seja depósito de ódio

    Comício informal de Boulos gera aglomeração em São Paulo