Fonte: OpenWeather

    Debate Televisivo


    Enquanto David apresenta propostas, Amazonino insiste em ataques

    Na ocasião, Almeida destacou projetos para saúde, transporte e infraestrutura enquanto Mendes se limitou aos projetos desenvolvidos no passado

    | Foto: Divulgação

    Manaus - O debate promovido pela TV Norte Amazonas, filiada a SBT entre o líder das pesquisas na disputa pela Prefeitura de Manaus, David Almeida (Avante), e o seu adversário, Amazonino Mendes (Podemos), desta quarta-feira (25), serviu para diferenciar os candidatos que tem propostas e quem está perdido na corrida eleitoral. 

    O despreparo do candidato Amazonino foi notório durante todo o debate, que por diversas ocasiões foi interrompido por não cumprir com o tempo determinado. Já David Almeida, pontuou algumas propostas e driblou o adversário que, limitou-se a repetir insistentemente uma única frase, querendo fazer colar no seu adversário a imagem do governador Wilson Lima.

    “Candidato, não baixe o nível desse debate. A população espera que nós apresentemos propostas e soluções para seus problemas e da nossa cidade e não ataques sem fundamentos e falsos”, disse David, que, apesar de ser alvo de Amazonino, disse respeitar a trajetória de seu adversário em seus anos de política. 

    Visivelmente sem propostas e balbuciando manifestações vagas, vazias e desprovidas de significado prático, a não ser o de desconstruir o seu adversário e tentar confundir o eleitor, Amazonino protagonizou cenas deprimentes e, mais uma vez, deixou claro que já não dispõe da capacidade necessária para comandar o futuro de uma metrópole como Manaus.

    Propostas

    Apesar da enxurrada de ataques, David fez questão de falar sobre suas propostas e Plano de Governo para Manaus. O candidato iniciou a sua participação reafirmando o compromisso de reestruturar a rede municipal de saúde, para fazer com que o cidadão mais desassistido possa ter acesso fácil e seguro à saúde.

    Almeida deixou claro que a saúde é uma das prioridades da gestão David Almeida e Marcos Rotta, por essa razão, a partir de janeiro de 2021, vai iniciar o desenvolvimento de ações para começar a resolver o problema de demanda registrado hoje na baixa complexidade.

    "Vamos construir seis Unidades Básica de Saúde (UBS’s), de nível 3, que vão funcionar como mini hospitais, nos seis primeiros meses da nossa gestão, para começar a solucionar esse problema de falta de assistência primária, bem como trabalhar para zerar as filas existentes hoje, reunindo milhares de pessoas à espera de exames e consultas", disse David. 

    *Com informações da assessoria 

    Leia mais: