Fonte: OpenWeather

    Inegibilidade


    MPE pede cassação do registro de prefeito eleito no interior do AM

    Segundo o órgão, Nazareno Souza Martins (Republicanos), eleito prefeito de São Paulo de Olivença é acusado de fraudar o certificado de conclusão do ensino médio

    Segundo o MPE, em consulta à Seduc, foi constatado que o número do documento é de outra pessoa e de outra escola
    Segundo o MPE, em consulta à Seduc, foi constatado que o número do documento é de outra pessoa e de outra escola | Foto: Divulgação

    Amazonas - O Ministério Público Eleitoral (MPE) entrou com uma ação pedindo a cassação do prefeito eleito no município de São Paulo de Olivença, no interior do Amazonas (a 982.64 quilômetros) Nazareno Souza Martins (Republicanos), conhecido como  "Gibe". 

    Segundo o MPE, o prefeito eleito é acusado de fraudar o certificado de conclusão do ensino médio.

    Nazareno foi eleito no primeiro turno das eleições municipais no dia 15 de novembro, com 7.143 votos, o que representa 48,61% dos votos válidos. No site do TSE, na página de registro de candidatura, consta que o grau de instrução do postulante é o ensino médio incompleto.

    Segundo o MPE, em consulta à Secretaria de Educação do Estado (Seduc), foi constatado que o número de registro apresentado no documento é de outra pessoa e de outra escola.

    No documento consta ainda que ele concluiu o curso em 1877, ou seja, há 143 anos. As informações estão no arquivo do Sistema Integrado de Gestão Educacional do Amazonas (SIGEAM).

    O MPE pediu ainda, que o candidato a prefeito e sua vice, Ana Maria Fermin de Melo, sejam considerados inelegíveis pelo período de oito anos subsequentes à eleição de 2020, bem como tenham seus registros de candidaturas cassados e, consequentemente, seus mandatos também.

    Em nota divulgada em uma rede social,  Nazareno disse que o que gera inegibilidade absoluta é o cidadão ser analfabeto. 

    Leia mais:

    MPE pede cassação da candidatura do prefeito de Humaitá

    MP Eleitoral pede impugnação de candidatura de Chico Preto

    Plenário desaprova contas do PSB e determina devolução de R$20,5 mil