Fonte: OpenWeather

    Votação


    Rio de Janeiro tem maior abstenção da história em segundo turno

    O número de abstenções foi ainda maior do que o total de votos recebidos pelo prefeito eleito Eduardo Paes (DEM)

    Os faltosos representam o percentual de 35,45% dos eleitores registrados no TRE-RJ
    Os faltosos representam o percentual de 35,45% dos eleitores registrados no TRE-RJ | Foto: Divulgação

    Brasil - A cidade do Rio de Janeiro teve a maior abstenção nas urnas desde 1996 no último domingo (29). Com 100% dos votos apurados, 1.720.154 de eleitores cariocas não compareceram nas urnas para escolher o prefeito da capital, os faltosos representam o percentual de 35,45% dos eleitores registrados no Tribunal Regional Eleitoral do Rio de Janeiro (TRE-RJ).

    O número de abstenções foi ainda maior do que o total de votos recebidos pelo prefeito eleito Eduardo Paes (DEM). Foram mais de 1 milhão e 720 mil que não compareceram contra mais de 1 milhão e 629 (1.629.319) mil votos em Paes (64,07% ), dos votos válidos. 

    O quantitativo de eleitores que não foram votar é um pouco menos que o dobro dos votos recebidos pelo atual prefeito Marcelo Crivella (Republicanos), que obteve 913.700 votos (35,93%).

    Histórico de abstenções 

    Durante o primeiro turno, o Rio de Janeiro ficou em segundo lugar entre as capitais com maior abstenção com 32,79%. A cidade só perdeu para Porto Alegre, que teve 33,08%.

    Até então, o maior índice de abstenção ocorreu em 2016, quando 26,85% dos eleitores aptos não compareceram. 

    No segundo turno das eleições de 2016 foram 1.314.950 abstenções (26,85%). Mais do que os votos do então candidato Marcelo Freixo (PSOL), que teve 1.163.662.

    Leia mais:

    Manaus registra recorde de abstenções com quase 300 mil

    Bolsonaro vota e defende células de papel nas próximas eleições

    Após abstenções, Mourão diz que é preciso repensar voto obrigatório