Fonte: OpenWeather

    Notícia Falsa


    Casa Militar nega prisão de coronel Fabiano Bó em Operação Sangria

    Em nota, a Casa Militar reforçou que não há pedido de prisão decretado pela Justiça Federal contra o titular da pasta

    De acordo com o órgão, a notícia falsa, foi divulgada por blogs e portais locais
    De acordo com o órgão, a notícia falsa, foi divulgada por blogs e portais locais | Foto: Divulgação

    Manaus - A Casa Militar do Governo do Amazonas divulgou uma nota nesta segunda-feira (30) negando que o titular da pasta, coronel Fabiano Bó, tenha sido preso durante  os mandatos de busca e apreensão da terceira fase da Operação Sangria. 

    De acordo com o órgão, a notícia falsa, foi divulgada por blogs e portais locais.

    A terceira fase Operação Sangria, que investiga os casos de desvio de dinheiro na compra de respiradores foi realizada pela Polícia Federal no início da segunda-feira. No entanto, os alvos e endereços dos quatro mandados de busca e apreensão cumpridos não foram divulgados pelo órgão federal. 

    Em nota, a Casa Militar reforçou que não há pedido de prisão decretado pela Justiça Federal contra Fabiano Bó, que “está disposto a colaborar com toda e qualquer informação aos órgãos oficiais de fiscalização e controle”.

    Confira a nota na íntegra:

    "A Casa Militar do Governo do Amazonas vem a público repudiar veementemente a ação irresponsável e antiética de blogs e portais que divulgaram a notícia falsa de uma suposta prisão do chefe deste órgão, coronel PM Fabiano Bó.

    Tal atitude não condiz com o exercício sério e responsável de uma imprensa livre e democrática. Muito pelo contrário, a divulgação de Fake News é crime e seus autores passíveis de severa punição sob forma da lei.

    Blogs e portais que tratam a notícia de forma politiqueira, com interesses escusos e sem escrúpulos, ferem o bom jornalismo que deve ser praticado com total isenção e checagem da informação antes da publicação.

    Cabe a esta Casa Militar informar que seu chefe não tem pedido de prisão decretado pela Justiça Federal e que está disposto a colaborar com toda e qualquer informação aos órgãos oficiais de fiscalização e controle."

    Leia mais:

    Polícia Federal realiza nova fase da operação 'Sangria' no Amazonas

    Prefeito de Tonantins é preso por suspeita de compra devotos no AM

    Investigado pela PF, vice-governador do AM nega crimes