Fonte: OpenWeather

    Medidas


    MP institui grupo para fiscalizar ações de combate a pandemia no AM

    Os promotores do grupo também devem coordenar e articular as medidas em resposta às demandas relacionadas à emergência de saúde pública

     

    Todas as decisões do grupo ocorrerão por meio de ferramentas tecnológicas e informadas por meios eletrônicos
    Todas as decisões do grupo ocorrerão por meio de ferramentas tecnológicas e informadas por meios eletrônicos | Foto: Divulgação

    Manaus - Com o objetivo de acompanhar e fiscalizar o plano estadual e municipal de combate ao Covid-19 o Ministério Público do Amazonas (MP-AM) instituiu um grupo de trabalho. O grupo instituído nesta quarta-feira (6), também deve coordenar e articular as medidas em resposta às demandas relacionadas à emergência de saúde pública.

    A equipe, presidida pela Procuradora de Justiça Silvana Nobre de Lima Cabral, irá fiscalizar a execução do Plano de Contingência do Estado no Combate ao Coronavírus, assim como o Plano de Imunização, na ocasião em que for instituído pelo Poder Executivo.

    Todas as decisões do grupo ocorrerão por meio de ferramentas tecnológicas e informadas por meios eletrônicos, bem como em postagens no site da instituição e redes sociais da instituição.

    O grupo também é formado pelos Promotores de Justiça: Cláudia Maria Raposo da Câmara, Edílson Queiroz Martins, Lincoln Alencar de Queiroz, Delisa Olívia Vieiralves Ferreira, Mirtil Fernandes do Vale, Antônio José Mancilha, Sheyla Andrade dos Santos, Vítor Moreira da Fonseca e Renata Cintrão Simões de Oliveira.

    A criação do Grupo de Trabalho está publicada, na forma da Portaria Nº 0004/2021/PGJ, assinada pelo Procurador-Geral de Justiça Alberto Rodrigues do Nascimento Júnior, na edição da quarta-feira (6) do Diário Oficial Eletrônico do MP (DOMP).

    *Com informações da assessoria 

    Leia mais:

    Justiça determina fechamento total do comércio em Manaus por15 dias

    Com orçamento de R$19 bilhões, LOA é aprovada na Aleam

    Justiça nega novo recurso e mantém atividades não essenciais suspensas