Fonte: OpenWeather

    Pandemia no Amazonas


    Estudo que prevê terceira onda da Covid no AM vira debate na Aleam

    A pesquisa apresenta novas variantes que demonstram letalidade e transmissibilidade duas vezes maior que a anterior

     

    As informações são baseadas em uma ferramenta básica epidemiológica, os modelos SEIR
    As informações são baseadas em uma ferramenta básica epidemiológica, os modelos SEIR | Foto: Divulgação

    Manaus - Em espaço na Assembleia Legislativa do Estado do Amazonas (Aleam), cedido pelo deputado estadual, Álvaro Campelo (Progressistas), na tarde desta terça-feira, (9), o pesquisador, Lucas Ferrante, mestre em ecologia e doutorando do Programa de Biologia do Instituto Nacional de Pesquisas do Amazonas (Inpa), apresentou dados sobre a suposta terceira onda da Covid-19 no Amazonas, com novas variantes que demonstram maior letalidade e transmissibilidade duas vezes maior que a anterior.

    Segundo o pesquisador, as informações são baseadas em uma ferramenta básica epidemiológica, os modelos SEIR (Susceptible – Exposed – Infected – Removed), para prever a situação da pandemia e tentar antecipar medidas de combate. O pesquisador argumentou que é preciso adotar um lockdown ainda mais severo, bem como, campanha massiva de vacinação para evitar novas mutações resistentes às vacinas disponíveis no mercado e, consequentemente, um colapso ainda maior na saúde do Amazonas.

    “Precisamos deixar bem claro que, essa variante que surgiu aqui no Amazonas, tem uma taxa de transmissibilidade duas vezes maior do que a que causou a segunda onda. Então, é muito mais importante, não só frearmos a ocorrência da terceira onda e impedir isso, mas frearmos, de fato, a circulação do vírus na população, para impedir que novas mutações surjam e que nós tenhamos uma variante resistente às vacinas de mercado. Por isso é extremamente necessário, imediatamente um lockdown severo para Manaus, acompanhado de uma campanha massiva de vacinação de toda população do estado” concluiu o pesquisador.

    Medidas 

    Para o deputado Álvaro Campelo, é possível evitar a possível tragédia, a partir de medidas conjuntas entre governos. “O Dr. Lucas não vem a esta Casa como um cavaleiro do apocalipse. Tudo o que ele falou é possível de ser evitado, desde que Governo Federal, Governo Estadual e Governo Municipal tomem as medidas necessárias para que isso não aconteça novamente. E uma das saídas, sem dúvida alguma, é que todos aqueles autônomos, comerciantes de pequeno e médio porte tenham a mão estendida do Estado para os auxiliarem, porque tem muitos que, nesse momento, estão passando necessidades, sem ter o que comer em casa”, afirmou.

    O parlamentar defendeu, ainda, uma campanha de vacinação em massa para alcançar, pelo menos 70% da população, assim como uma reunião com a participação de todas as autoridades envolvidos nessa questão, com o objetivo de elaborar planejamento efetivo sobre essa ameaça.

    *Com informações da assessoria 

    Leia mais:

    Deputado propõe medidas de prevenção no transporte coletivo de Manaus

    Corpo de Bombeiros do AM faz entrega de equipamentos de emenda

    Projetos de Lei buscam barrar ilegalidades nas contas de energia no AM