Fonte: OpenWeather

    Eleições 2020


    Prazo para publicar decisão sobre prestação de contas encerra hoje

    Os juízes eleitorais tem até esta sexta-feira (12) para publicarem decisões referentes às prestações de contas dos candidatos eleitos em 2020

     

    | Foto: Divulgação

    Brasil - Termina nesta sexta-feira (12) o prazo para que os juízes eleitorais publiquem as decisões referentes às prestações de contas dos candidatos eleitos nas Eleições Municipais de 2020. O prazo foi estabelecido após a publicação da Emenda Constitucional nº 107/2020, que alterou o calendário eleitoral em razão do cenário excepcional decorrente da pandemia de Covid-19.

    Nas prestações de contas dos candidatos são observadas todas as receitas e despesas realizadas durante a campanha, procedimento que inclui o exame de cópias de cheques, notas fiscais, recibos, contratos, extratos bancários e comprovações de doações.

    Todos os candidatos, eleitos e não eleitos, bem como todos os órgãos dos partidos políticos devem encaminhar suas prestações de contas de campanha à Justiça Eleitoral. O objetivo é garantir que não ocorram fraudes por parte dos candidatos, além de fiscalizar a aplicação do Fundo Especial de Financiamento de Campanha (FEFC).

    Julgamento

    De acordo com a legislação vigente, a Justiça Eleitoral verificará a regularidade das contas de campanha, decidindo pela aprovação, quando estiverem regulares; pela aprovação com ressalvas, quando verificadas falhas que não lhes comprometam a regularidade; e pela desaprovação, quando verificadas falhas que lhes comprometam a regularidade.

    O não encaminhamento das prestações de contas de campanha sujeita o candidato e o partido político ao julgamento das contas como não prestadas e à devolução de eventuais recursos arrecadados.

    Havendo indício de irregularidade na prestação de contas, a Justiça Eleitoral poderá requisitar do candidato as informações adicionais necessárias, bem como determinar diligências para a complementação dos dados ou o saneamento das falhas.

    *Com informações do TSE

    Leia mais:

    Resolução suspende consequências para eleitor que não votou em 2020

    Auditoria do TSE diz que não houve fraude nas eleições de 2020

    Eleitor tem até janeiro de 2021 para justificar ausência na eleição