Fonte: OpenWeather

    Ameaça


    'Novo golpe contra a ZFM', diz Serafim sobre redução de imposto

    O parlamentar criticou a decisão do Governo Federal que irá reduzir para 20% a alíquota do imposto de importação de bicicletas no Brasil

     

    Para Serafim, o objetivo da decisão  é  desmontar as empresas brasileiras que estão instaladas no Polo Industrial (PIM)
    Para Serafim, o objetivo da decisão é desmontar as empresas brasileiras que estão instaladas no Polo Industrial (PIM) | Foto: Divulgação

    Manaus - O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) anunciou, em postagem nas redes sociais, na noite da última quarta-feira (17), que o Governo irá reduzir de 35% para 20% a alíquota do imposto de importação de bicicletas no Brasil até o final do ano. Para o deputado estadual Serafim Corrêa (PSB) esse é mais um golpe de Bolsonaro contra a Zona Franca de Manaus (ZFM), com o objetivo de desmontar as empresas brasileiras que estão instaladas no Polo Industrial (PIM) da capital amazonense. A declaração do parlamentar aconteceu durante a sessão plenária desta quinta-feira (18), na Assembleia Legislativa do Estado do Amazonas (Aleam).

    Na postagem, em que aparece andando de bicicleta, o presidente escreveu que a medida foi uma decisão da Câmara de Comércio Exterior (Camex), do Ministério da Economia. O Decreto foi publicado na edição desta quinta-feira (18) do Diário Oficial da União (DOU).

    “Todos nós sabemos que a razão pela qual as empresas vêm para a ZFM é exatamente as alíquotas altas de imposto de importação e de IPI. Sabemos que em Manaus nós temos fábricas de bicicletas que empregam entre diretos e indiretos cerca de 5 mil trabalhadores. Quando se diminui as alíquotas se favorece a China, porque eles produzem bicicletas a um preço muito baixo. O Imposto de Importação diminuindo, a China vai poder competir no mercado nacional e desmontar as empresas brasileiras que estão na ZFM”, disse Serafim. 

    “É lamentável que o presidente da República mais uma vez tome uma atitude impensada e contra a Zona Franca, ameaçando os nossos empregos e acenando com a possibilidade de gerar empregos na China”, avaliou Serafim.

    Conforme publicação do presidente nas redes sociais, a redução será para 30% em março, 25% em julho até chegar em 20% em dezembro.

    “O senador Omar Aziz formulou uma carta ao presidente pedindo para ele reveja o ato, eu entendo que ele não irá rever. O ministro (da Economia) Paulo Guedes quer acabar com a ZFM e progressivamente eles geram o que há de pior em uma economia, que é a insegurança jurídica, porque mês sim e no outro também, eles criam problemas que não existem para que os novos investidores fiquem assustados. Quem vai querer vir para a ZFM se as regras do jogo são uma em um dia e no outro, com uma canetada do presidente muda tudo? Deixo aqui meu repúdio a essa atitude do presidente da República, que tira empregos de Manaus e cria empregos na China”, concluiu Serafim.

    *Com informações da assessoria

    Leia mais:

    'Expectativa é que teremos vacina para todos em 2 meses', diz Serafim

    Repasse de R$ 9 bilhões ao Amazonas era obrigatório, diz Serafim

    Serafim pede fim de guerra de vaidades entre Bolsonaro e Dória