Fonte: OpenWeather

    Sem acordo


    Votação de MP que amplia margem do consignado é adiada na Câmara

    O texto amplia a margem de empréstimo consignado para aposentados e pensionistas do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS)

     

    A MP vence na próxima quinta-feira (11), e ainda precisa ser votada pelos senadores
    A MP vence na próxima quinta-feira (11), e ainda precisa ser votada pelos senadores | Foto: Divulgação

    Brasil - O Plenário da Câmara dos Deputados adiou para a próxima terça-feira (9) a votação da Medida Provisória 1006/20, que amplia a margem de empréstimo consignado para aposentados e pensionistas do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS).

    Na presidência dos trabalhos, o 1º vice-presidente da Casa, deputado Marcelo Ramos (PL-AM), informou que há necessidade de fazer ajustes no texto apresentado pelo relator, deputado Capitão Alberto Neto (Republicanos-AM), para fechar acordo.

    A MP vence na próxima quinta-feira (11), e ainda precisa ser votada pelos senadores. Alberto Neto chegou a fazer um apelo, antes do início da Ordem do Dia, para a votação da matéria. “O aposentado está passando necessidade, está negativado, está na mão de instituições ‘criminosas’, cobrando juros altos. Não podemos permitir que essa MP caduque. Será uma vergonha para o Congresso Nacional e, quando chegar na base, vamos responder por isso, com certeza”, disse.

    Como a medida provisória tranca a pauta do Plenário, nenhum outro item pôde ser analisado pelos deputados nesta quinta-feira (4), exceto a urgência do Projeto de Lei 5238/20, que foi aprovada. O PL da deputada Erika Kokay (PT-DF) e outros proíbe o uso de linguagem que afete a dignidade das partes ou testemunhas e define o crime de violência institucional no curso do processo.

    *Com informações da Agência Câmara de Notícias

    Leia mais:

    Saiba o que falta para o pagamento do novo auxilio emergencial

    Oposição entra no Supremo contra a MP de privatização da Eletrobrás

    Vereadores deliberam PL do Executivo que suspende feriados municipais