Fonte: OpenWeather

    Oportunidades


    Vereadora pede criação de mais 2 mil vagas para professores municipais

    A solicitação se baseia na vigência do Concurso 001/2017 que teve o prazo prorrogado, e em seguida suspenso por conta da pandemia da Covid-19

     

    A vereadora agradeceu ao secretário da Semed, Pauderney Avelino, que fez o encaminhamento ao TCE pedindo a  celeridade da situação
    A vereadora agradeceu ao secretário da Semed, Pauderney Avelino, que fez o encaminhamento ao TCE pedindo a celeridade da situação | Foto: Divulgação

    Manaus - A vereadora Professora Jacqueline (Podemos) pediu sensibilidade à análise do Tribunal de Contas do Estado (TCE-AM) para legalidade jurídica da criação de mais duas mil vagas para professores da rede municipal de educação. A solicitação se baseia na vigência do Concurso 001/2017 professor de nível superior que teve o prazo prorrogado, e em seguida suspenso por conta da pandemia de Covid-19.

    Em pronunciamento durante sessão plenária, nesta quarta-feira (10), a vereadora agradeceu a resposta em atenção ao ofício 22/2021, do secretário da Secretaria Municipal de Educação (Semed), Pauderney Avelino, que fez o encaminhamento ao TCE para consulta jurídica e orientação legal em celeridade dessa situação que viabiliza a contratação de novas vagas para professores. “A convocação representa a tão sonhada estabilidade que muitos profissionais buscam e precisam dessa oportunidade especialmente no momento em que estamos vivendo”.

    Para a Professora, todo profissional que trabalha almeja a aposentadoria e muitos não tiveram a chance desse desejo realizado. “Inevitável não registrar minha tristeza aos valorosos professores que foram a óbito. Além das centenas de profissionais da educação vitimados pela Covid-19, a vacância também é criada, por conta, de professores que se aposentam, pedem licença para outros cargos e até exoneração”, acrescentou.

    Jacqueline intensificou a necessidade de prioridade de vacinação aos professores que estão na linha de frente da educação. “Não podemos voltar com aulas presenciais enquanto os professores não forem vacinados. Precisamos garantir a segurança do professor e da comunidade porque a vida é mais importante”, argumentou.

    Educação do Campo

    Por conta das aulas remotas, a situação da educação na zona rural tem sido ainda mais delicada. De acordo com a Professora Jacqueline, a constante queda da rede elétrica impossibilita a participação integral de alunos residentes nas comunidades rodoviárias e ribeirinhas.

    “Os alunos matriculados na rede municipal residentes da zona rural enfrentam horas sem energia, muitos não tem computador, possuem redes moveis limitadas, e até quando conseguem, principalmente quando chove, cai a rede elétrica”, declarou.

    *Com informações da assessoria 

    Leia mais:

    Professora Jacqueline apresenta moção em homenagem às mulheres

    Vereadora propõe Frente Parlamentar em Defesa da Zona Rural

    Vereadora defende aulas híbridas e vacinação de professores em Manaus