Fonte: OpenWeather

    Eleições Gerais


    Possíveis candidaturas para eleições de 2022 já aquecem bastidores

    Articulações politicas já estão sendo realizadas por possíveis candidatos conhecidos pelo eleitorado amazonense e um dos cargos mais almejados deve ser o do Senado

     

    Eduardo Braga, Wilson Lima e Marcelos Ramos são os nomes com maior evidência entre as especulações
    Eduardo Braga, Wilson Lima e Marcelos Ramos são os nomes com maior evidência entre as especulações | Foto: Divulgação

    Manaus - Mesmo com as eleições gerais de 2022 ainda distantes, possíveis candidaturas já movimentam os bastidores da política e nomes conhecidos pelo eleitorado amazonense começam a se articular para concorrer aos cargos pleiteados. Segundo especialistas, um dos destaques no pleito será para a única vaga no Senado, que deve ser a mais concorrida. Além disso, com as atuais circunstâncias políticas, não deve haver nenhum nome novo nas disputas.

    Além do presidente da república, serão escolhidos parlamentares para os cargos de deputados federais e estaduais, senadores e governadores. No Amazonas, possíveis nomes já estão sendo cogitados e até confirmados pelos futuros candidatos.

    Segundo o cientista político Carlos Santiago, uma grande dança das cadeiras deve ser feita no Congresso Nacional, com nomes do Senado concorrendo ao Governo e deputados federais na disputa pela vaga no Senado. 

    "No âmbito local, as eleições irão envolver fortemente alguns grupos políticos. O governador Wilson Lima (PSC) indica que será candidato ao governo com apoio de partidos próximos dele e de prefeitos do interior. Tem o grupo do prefeito de Manaus, que também quer participar das eleições, e pode apontar o nome do próprio prefeito ou do vice-prefeito para o governo. O senador Omar Aziz (PSD) tem força, tem um grupo político e nomes para lançar: Marcelo Ramos (PL) e ele próprio. O ex-governador e senador Eduardo Braga também apontou interesse na disputa para o governo. Conta com apoio de prefeitos e de partidos políticos", afirmou o cientista político. 

    O senador Eduardo Braga é um forte nome a concorrer ao Governo do Estado do Amazonas, apesar disso, por meio de assessoria, o parlamentar afirmou que não dará declarações sobre o assunto neste momento.

    Senado Federal

    Na corrida para ocupar a única cadeira no Senado, ocupada por Omar Aziz, que deve ser a mais disputada por ser única, já há dois possíveis candidatos declarados: Chico Preto e Coronel Menezes. Segundo o cientista político Helso Ribeiro, além deles, também podem ser considerados nomes como Marcelo Ramos e José Ricardo, atuais deputados federais.

     

    Omar Azziz deve buscar a reeleição da cadeira mais disputado do pleito
    Omar Azziz deve buscar a reeleição da cadeira mais disputado do pleito | Foto: Divulgação

    "Se especula a possibilidade de ele [Omar Aziz] ser candidato à reeleição e, junto com ele, também se especula uma possível vinda de José Ricardo para o Senado. Marcelo Ramos também e aí ele deixaria o campo mais amplo para Alfredo Nascimento voltar para a Câmara de Deputados. Ou ainda Alfredo para o Senado e Ramos sendo reeleito. O nome do Marcelo Ramos, que está tendo uma relevância nacional muito forte, é cogitado também para ser candidato ao Governo, não sei se ele arriscaria isso também", afirmou Ribeiro. 

    Câmara dos Deputados

    Ainda de acordo com Helso Ribeiro, sempre há a eleição de, pelo menos, três novos parlamentares para uma das oito cadeiras da bancada amazonense na Câmara dos Deputados. Além disso, pela atuação ao longo do mandato, é possível destacar três nomes que podem ter força para garantir a reeleição: José Ricardo, Átila Lins e Silas Câmara. Entre as possibilidades estão ainda o próprio Chico Preto e Alfredo Nascimento, tudo a depender de como as articulações se desenrolarão até o momento em que lançarão suas pré-candidaturas.

    "Eu diria que nomes como José Ricardo Wendling, Átila Lins, que tem muitos mandatos, trabalhos voltados principalmente ao interior, Silas Câmara, que tem uma ligação muito forte com a Igreja, eles teriam um caminho não tão difícil para reeleição. Fora eles, eu vejo o Marcelo Ramos que também tem uma boa chance de reeleição. Os outros quatro, eu acredito que terão muito trabalho para fazer. Nas eleições para a Câmara dos Deputados, há sempre uma renovação, tem sempre três novos nomes que chegam", explicou. 

    Incerteza para a escolha de cargos

    O ex-prefeito de Manaus, Arthur Virgílio Neto, confirmou que entrará na disputa no pleito do ano que vem, no entanto não garantiu em qual cargo irá concorrer. Neto explicou que inclusive já iniciou articulações políticas para garantir o caminho que irá seguir e que está ansioso para iniciar o período eleitoral, especialmente pelo contato com o eleitorado do interior do Amazonas.

     

    Neto explicou que inclusive já iniciou articulações políticas para garantir o caminho que irá seguir
    Neto explicou que inclusive já iniciou articulações políticas para garantir o caminho que irá seguir | Foto: Divulgação

    "Sem dúvida, disputarei uma eleição majoritária, podem contar com meu nome. Tenho feito conversas proveitosas e não vejo a hora de me lançar nas ruas como gosto de fazer, percorrendo até municípios, como não faço há algum tempo por ter governado Manaus com muita seriedade e aplicação e, portanto, não tinha tempo para agendas no interior. Minha ideia é permanecer no partido, jamais pensaria em trocar. Estamos pensando no ajustamento do PSDB nos moldes que ele já foi e deveria ser. Já disse que se todos quiserem sair, podem deixar a chave comigo", destacou.

    Neto explicou ainda que pretende redesenhar o partido, o qual é filiado desde 1996, para que consiga destacar a região amazônica e suas particularidades. "Quero reerguer o PSDB, debatendo, de forma respeitosa e democrática, caminhos para um bom futuro para o nosso país, olhando com preocupação necessária para temas sensíveis como a própria questão ambiental, a Amazônia, a Zona Franca e o que mais for necessário".

    Ex-vereador e também ex-candidato a prefeito de Manaus, Chico Preto confirmou sua intenção de entrar na corrida eleitoral de 2022. De acordo com o Chico Preto ainda será necessário uma análise do cenário para definir para qual cargo irá disputar. 

    "Sim, pretendo concorrer. Acredito na transformação por meio da política e sinto que Deus ainda me chama para esta missão. Desejo servir o Amazonas em Brasília, como deputado federal ou senador. A decisão vai depender do cenário a se desenhar. Meu trabalho, por ora, resume-se a apontar caminhos para Manaus e o Amazonas por meio das minhas redes sociais. Sou um político que acredita na consciência política dos eleitores e não que gasta rios de dinheiro para se eleger", defendeu.

    Um dos nomes considerados para concorrer no próximo pleito é Coronel Menezes, que também disputou o Executivo municipal em 2020. Menezes, apoiador declarado de Jair Bolsonaro (sem partido), afirmou que virá como candidato a um cargo majoritário, mas ainda irá analisar o cenário político em que o Brasil estará daqui a alguns meses.

    "Continuo reafirmando que vou concorrer a uma vaga no majoritário, seja Senado ou governo do Estado, não penso no legislativo estadual e nem federal. É algo que somente irei decidir futuramente. Entretanto, a decisão vai depender muito da vontade da população e também do presidente Jair Bolsonaro, pois seu apoio será fundamental para vencermos em 2022", afirmou Menezes.

    Reeleição

    Com a possibilidade de reeleição do atual governador Wilson Lima, o presidente estadual do Partido Social Cristão (PSC), Miltinho Castro, afirmou que ainda não há como garantir nomes ou a própria reeleição de Lima e explicou que o partido está apenas se organizando para que possa garantir nomes elegíveis no ano que vem.

    "Na realidade nós estamos organizando o partido, esse é um ano em que o partido está reestruturando suas bases. O governador vai definir somente ano que vem quem será o candidato, se ele vai vir para a reeleição ou não, ainda vai ser estudado isso. A minha obrigação como presidente é organizar o partido para estar apto para quando for definido como deve ser feita essa campanha", explicou.

    Leia Mais:

    Coronel Menezes viaja pela BR 319 e repassa condições a Bolsonaro

    Cláusula de barreira causa medo em partidos nas próximas eleições

    Mourão afirma que Lula não vence eleição porque é 'político velho'